quarta-feira, 31 de agosto de 2016

FESTA DA SANTA CRUZ EM CAMOCIM 2016



Começa  no próximo Domingo (04/09) na Capela do Cruzeiro a tradicional Festa da Santa Cruz, com o tema, "POR MISERICÓRDIA QUE JESUS MORREU NA CRUZ" 

O evento religioso é realizado pela comunidade da Capela do Cruzeiro e reunirá até o dia 14, data em que se encerra o festejo, pastorais, movimentos, grupos e toda a comunidade do bairro do Cruzeiro e adjacências em torno de celebrações eucarísticas, novenas, leilões etc. 

A comunidade do Cruzeiro convida toda a população para participar deste momento de  celebração da fé cristã e encontro fraterno entre irmãos. Participe!


CLIQUE NAS IMAGENS ABAIXO E VEJA A PROGRAMAÇÃO COMPLETA

CLIQUE EM CIMA DA IMAGEM PARA AMPLIAR

CLIQUE EM CIMA DA IMAGEM PARA AMPLIAR



Brasileira larga tudo para divertir filhos de refugiados na Europa

0_lele
A foto de uma criança filha de refugiados morta no mar da Turquia rodou o mundo e levantou uma discussão sobre a realidade de milhares de refugiados que tentam atravessar as fronteiras europeias todos os anos.  Incomodada com essa triste realidade, a brasileira Alessandra Luiza de Morais, mais conhecida como Lelé, resolveu conhecer de perto um abrigo de refugiados na Grécia para fazer o que mais gosta na vida: brincar com crianças.

Natural de Belo Horizonte-MG, Lelé se formou em Belas Artes, e, desde muito nova, descobriu sua vocação para trabalhar com crianças. Em 2002, decidida a aprender inglês, resolveu passar seis meses em New York. Logo que chegou, montou uma oficina de brinquedos em sua casa e criou a “Let’s Play Group”. Os seis meses se transformaram em 14 anos, Lelé se casou com um fotógrafo americano que hoje a acompanha, quando possível, em suas atividades.

“Sempre estudei muito e pesquisei sobre o mundo das brincadeiras infantis. Vi que eu poderia ir muito além de dar uma aula de artes para elas. Descobri que a linguagem da criança é universal, não importa se é brasileira, americana, síria”, disse ao AcheiUSA.
Em sua casa em NY, ela tinha um quintal onde oferecia vários tipos de brincadeiras para as crianças e esse mesmo tipo de trabalho ela tenta levar para o campo dos refugiados. “Eu as observo, vejo com o que elas gostam de brincar e o que as interessa. Uma cadeira vira um ônibus, objetos se transformam e, assim, deixam a imaginação voar”.

Madre Teresa de Calcutá teve visões de Jesus?


teresa_de_calcutá

A Madre Teresa dialogou e teve visões de Jesus antes de fundar as Missionárias da Caridade, algo que não se soube até a sua morte, um fato que também era ignorado por um dos seus amigos durante 30 anos, o Pe. Sebastian Vazhakala.
Em diálogo com o Grupo ACI, o sacerdote missionário da caridade explicou que isto “foi uma grande descoberta”.
Em 1997, dois anos depois de sua morte, foi aberta a causa de canonização da religiosa e foram encontrados diversos documentos nos quais foram relatadas estas locuções e visões que a Madre Teresa teve há muitos anos.
O período desta profunda experiência foi entre o dia 10 de setembro de 1946 e 3 de dezembro de 1947, quando a Beata ainda permanecia na congregação das Irmãs de Loreto.

Como ensinar os filhos a lidar com as frustrações da vida?

crianca“Eduque seus filhos com um pouco de fome e um pouco de frio”, reza o provérbio de Confúcio.
Há muitas realidades que os pais gostariam de evitar, para facilitar a vida dos filhos, mas algumas delas são inevitáveis; cedo ou tarde, a vida se imporá. Por isso, é importante ensiná-los a lidar com a frustração.

A frustração é uma resposta emocional que surge quando não vemos nossas expectativas realizadas. No contexto familiar, ela se manifesta de maneira especial quando os pais dizem “não” diante de determinada solicitação dos filhos. A tolerância à frustração é a capacidade de aceitar as circunstâncias e enfrentá-las com uma atitude positiva, dando um passo à frente.  crianca

A tolerância à frustração é uma lição que se aprende dentro da família, quando os pais formam a vontade dos filhos. O ser humano, no início da vida, tende a querer dominar o mundo segundo seus caprichos, pois ainda não conhece as normas nem o domínio das suas emoções. Porém, a educação permite que a criança vá adquirindo a maturidade necessária para reconhecer os próprios limites e os dos outros.

Em uma entrevista publicada por The Family Watch, o psicopedagogo e diretor de um centro de atenção a adolescentes da Espanha, Carlos Jiménez, sublinhou que uma educação permissiva e superprotetora leva os filhos a não aceitarem um “não”.

Papa: a misericórdia oferece dignidade

REUTERS1687225_ArticoloA misericórdia oferece dignidade. Este foi o tema da Audiência Geral do Papa nesta quarta-feira (31/08), na Praça São Pedro. Francisco pontuou sua reflexão com base nas narrações da mulher “cuja fé a salvou”.

“Quanta fé, quanta fé tinha esta mulher. Tida como impura por causa das hemorragias e, por isso, excluída das liturgias, da vida conjugal, das normais relações com os demais: era uma mulher descartada pela sociedade”.

Este caso nos faz refletir sobre como a mulher seja frequentemente percebida e representada, afirmou o Papa.

“Todos devemos prestar atenção, também as comunidades cristãs, para óticas da feminilidade cheias de preconceitos e suspeitas que lesam a intangível dignidade da mulher”, alertou o Pontífice.

“Jesus admirou a fé desta mulher que todos evitavam e transformou sua esperança em salvação. Não sabemos o seu nome, mas as poucas linhas com as quais o Evangelho descreve o seu encontro com Jesus delineiam um itinerário de fé capaz de reestabelecer a verdade e a grandiosidade da dignidade de todas as pessoas”.

segunda-feira, 29 de agosto de 2016

Papa: o serviço aos irmãos torna-se um testemunho de amor

REUTERS1683878_Articolo“Quando nos colocamos diante de Deus nesta dimensão de humildade, então Deus nos exalta, se inclina para nós, para elevar-nos para Ele”.

O Evangelho proposto pela Liturgia do dia ofereceu ao Pontífice a oportunidade para refletir sobre a humildade e a certeza que devemos ter na recompensa divina, explicando que Jesus “nos faz entender a necessidade de escolher o último lugar”, isto é, de procurar as coisas pequenas.

A pressa dos convidados em escolher os primeiros lugares à mesa: “uma cena que vimos tantas vezes: buscar o melhor lugar, mesmo com os cotovelos”, disse Francisco, ao iniciar sua alocução que precede a oração do Angelus, diante da multidão reunida na Praça São Pedro.

A cena narrada no Evangelho de Lucas, oferece duas indicações: uma relativa ao lugar e a outra à recompensa.

“Não ocupes o primeiro lugar. Pode ser que tenha sido convidado alguém mais importante do que tu, e o dono da casa, que convidou os dois, venha te dizer: ‘Dá o lugar a ele’. Então tu ficarás envergonhado e irás ocupar o último lugar”.

Atletas cristãos do Egito foram impedidos de participar da Olimpíada no Rio.

esporte-rio-2016-volei-de-praia-egito-alemanha-20160808-01
A ONG egípcia Coptic Solidarity  fez uma grave denúncia de perseguição religiosa. A delegação do Egito não permitiu que atletas cristãos participassem da Olimpíada no Rio de Janeiro. Uma queixa formal foi registrada junto ao Comitê Olímpico Internacional (COI) e a Federação Internacional de Futebol (FIFA).

Segundo a organização, atletas não muçulmanos são impedidos de participar de competições esportivas tanto dentro quanto fora do país. Isso inclui membros da seleção de futebol. A minoria copta é o ramo mais numeroso do cristianismo no Egito. Eles são cerca de 10% da população de 90 milhões. Dentre a delegação olímpica de 122 atletas, nenhum era copta.

Essa prática foi reportada também em Londres, quatro anos atrás. Há pelo menos 10 atletas que teriam condições de participar do maior evento esportivo do planeta, caso os critérios fossem apenas técnicos. “Eles passaram em todas as fases de seleção, mas os atletas [cristãos] foram excluídos de competições tanto nacional quanto internacional com base apenas em sua confissão religiosa”, diz o comunicado da Coptic Solidarity.

O COI nunca se manifestou nem impôs penas ao Egito. Curiosamente, as imagens das jogadoras do vôlei de praia totalmente cobertas, seguindo a lei islâmica, viraram um símbolo de ‘diversidade’.

Segundo a Coptic Solidarity: “a intolerância religiosa nos esportes é algo muito difundido no Egito, e acaba minando o significado do espírito esportivo. A atitude vergonhosa do judoca egípcio Islam El Shehaby, que se recusou a cumprimentar seu adversário israelita nos Jogos Olímpicos de 2016, foi vista e condenada pelo mundo todo. Mesmo assim, o Egito comemora o fato como uma espécie de vitória religiosa”.

Fonte: Christian Today

Prior dos beneditinos descreve o terremoto em Núrcia, Itália. “É uma experiência muito assustadora ouvir o ranger da terra”..

benedictDia 24 de Agosto era a festa de São Bartolomeu, o que significava que rezaríamos Matinas às 3:45 da manhã. Cerca das 3:30 – quando já estavam todos em pé, graças a Deus – o terremoto atingiu-nos. Já havíamos experimentado tremores de terra nestes 16 anos que vivemos em Núrcia, mas nada como isto.

É uma experiência muito assustadora ouvir o ranger da terra e sentir os edifícios balançar para um lado e para o outro. Todos nós tivemos a presença de espírito para sair imediatamente e reunir num lugar aberto – a praça em frente ao mosteiro. (Veja foto acima) Aí juntamo-nos uns aos outros, ao frio, enquanto tremores sucessivos faziam com que o pavimento de pedra ondulasse debaixo dos nossos pés. Os monges e moradores da cidade reuniram-se instintivamente em torno da estátua de São Bento, que está localizada no centro da praça. Os monges rezavam o Terço juntos e muitos dos habitantes da cidade juntaram-se. Agradecemos sinceramente a Deus por as nossas vidas terem sido poupadas.

Do outro lado das montanhas, em Accumoli e Amatrice, o terramoto demoliu as cidades, deixando um rasto de morte e destruição. Lamentamos a trágica morte dessas pessoas, e choramos pelos seus parentes e amigos. Na verdade, como diz a Escritura: “Deus não é o autor da morte
 

©2012 Grupo Renascer | Template Grupo Grupo Renascer by