VEJA NOSSOS ÁLBUNS DE FOTOS NO NOSSO FACEBOOK: facebook.com/gruporenascercamocim

quinta-feira, 27 de agosto de 2015

A extraordinária história de pai, mãe, seis filhos e uma filha, todos santos ou beatos!


São Bernardo de Claraval“Amor Sem Medida - Crônica de uma Família” é um livro escrito em 1964 pelo pe. M. Raymond, O.C.S.O. A obra conta a história de uma família formada por pai, mãe, seis filhos homens e uma filha mulher, todos imbuídos de profundo entusiasmo pela vida e de intenso desejo de lutar pelos ideais mais elevados.

Enquanto acompanhamos a sua trajetória, somos apresentados a papas e reis, cardeais e diplomatas, santos e pecadores, gente que, ao passarem os anos, se tornava amiga ou inimiga desta família sem igual; uma família de santos e beatos que descartou todas as honrarias humanas e toda a riqueza material para se alçar contra o mundo com uma visão sublime de eternidade.
 

SÃO BERNARDO

Desde menino, Bernardo recebeu uma formação religiosa tão sólida que, quando algum professor ensinava algo contrário à doutrina cristã, ele "recorria à oração e à meditação das Sagradas Escrituras para neutralizar o veneno inalado nas aulas". A devoção de São Bernardo de Claraval por Nossa Senhora também é riquíssima. É dele a invocação "Ó Clemente! Ó Piedosa! Ó Doce Virgem Maria!", acrescentada pela Igreja ao final da oração "Salve Rainha".

Qual é o pecado favorito do demônio?


Devil 2 (diabolic possession)Um exorcista tem medo? Qual é o pecado predileto do demônio? Estes foram alguns dos temas de uma recente entrevista do sacerdote dominicano Juan José Gallego, exorcista da arquidiocese de Barcelona, a um jornal espanhol.

Há nove anos o Pe. Gallego foi designado exorcista, e afirmou que, na sua opinião, o demônio é um ser “totalmente amargurado”.

Através de uma entrevista, realizada pelo jornal espanhol ‘El Mundo’, o sacerdote assegurou que “a soberba” é o pecado de que o demônio mais gosta.

terça-feira, 25 de agosto de 2015

Papa: Tudo o que temos no mundo não satisfaz a nossa fome de infinito


10
As palavras de Jesus “nos colocam em crise diante do espírito do mundo e da mundanidade”, e “tudo o que temos no mundo não sacia a nossa fome de infinito”: foi o que disse o Papa Francisco na alocução que precedeu a Oração mariana do Angelus neste domingo, 23 agosto.

O Santo Padre recordou nas suas palavras que se concluiu hoje a leitura do sexto capítulo do Evangelho de João, com o discurso sobre o “Pão da vida”, pronunciado por Jesus logo após o milagre da multiplicação dos pães e dos peixes.
No final desse discurso, o grande entusiasmo do dia anterior se apagou, – sublinhou o Papa – porque Jesus tinha dito ser o Pão que desceu do céu, e que ele iria dar a sua carne como alimento e seu sangue como bebida, aludindo assim claramente ao sacrifício da sua própria vida. Essas palavras provocaram decepção no povo, que julgou indignas para um Messias não “vencedor”. Assim, alguns observavam Jesus como um Messias que devia falar e agir de modo que sua missão tivesse sucesso. Mas precisamente sobre isso erravam – continuou o Papa -, sobre a compreensão da missão do Messias! Até mesmo os discípulos não conseguem aceitar aquela linguagem inquietadora do Mestre. E a passagem do Evangelho deste domingo refere o desconforto deles: “Este discurso é duro; – diziam – quem o pode ouvir”?.

Fraude em enquete sobre a ‘definição de família’ no site do Senado: “Mais de 1,6 milhão de votos vieram de um único IP”

Resultado-Enquete-câmara-DF-Definição-familia-4youRevista
O site da Câmara mantém a enquete on-line que questiona o cidadão se ele concorda que a definição de família é o núcleo formado a partir da união de um homem e uma mulher. A votação foi encerrada com 51,62% de votos pelo não e 48,09% pelo sim (0,29% escolheram a opção “não tenho opinião formada”).
O deputado Diego Garcia (PHS-PR), relator do projeto de lei 6583/2013 conhecido como Estatuto da Família, denunciou que a maioria dos votos que não concordam em definir família como união heterossexual partiram de apenas alguns computadores.

Por que o cristianismo está crescendo tão rapidamente na China?

topic

O Cristianismo cresce rapidamente na China, esse acontecimento poderia ser devido a compenetração da fé e os avanços tecnológicos atuais.
Rodney Stark, reputado sociólogo, afirmou que o número de cristãos na China está crescendo em média uma taxa de 7% anualmente.
Stark, codiretor do Instituto de Estudos de Religião da Universidade de Baylor, produziu junto com Xiuhua Wang o relatório: “Uma estrela no Oriente. O crescimento do cristianismo na China”.
Ambos os autores apontam que em 1980 haviam 10 milhões de cristãos na República Popular da China e que em 2007 estes alcançaram os 60 milhões. Com uma taxa de 7%, atualmente, os cristãos na China são aproximadamente quase 100 milhões.
Stark e Wang atribuem este crescimento ao número de conversões entre pessoas com um grau de educação alto, e estes experimentam a “incongruência cultural” entre a cultura tradicional asiática e a modernidade tecnológica e industrial. Algo que evidencia uma carência espiritual a qual o Cristianismo pode responder.

Como saber se o pecado cometido me impede de comungar?

nc3a3o-se-afaste-da-eucaristiaSão Paulo expressou com contundência que nem todos estão em condições de receber a comunhão:

“Que cada um se examine a si mesmo, e assim coma desse pão e beba desse cálice. Aquele que o come e o bebe sem distinguir o corpo do Senhor, come e bebe a sua própria condenação.” (1 Cor 11, 28-29) Estas palavras destacam a gravidade do assunto, mas não proporcionam um critério claro sobre quando uma pessoa é digna e quando não é. Por isso, esta questão também foi submetida a debate.
 Dá a impressão, no entanto, que os destinatários da carta – os coríntios – já tinham alguma ideia a respeito disso. Por isso, é importante ver as fontes conhecidas da vida da Igreja primitiva.

No final do século I ou começo do século II, foi escrita a chamada “Didaché” (ou “Doutrina dos Doze Apóstolos”), na qual se fala bastante da Eucaristia. Após indicar que o sacramento é somente para os batizados, acrescenta a seguinte frase: “Quem for santo, aceda; quem for menos, faça penitência”. Ainda que exija um esclarecimento posterior, este continua sendo um critério válido, à luz do qual se entende o que foi determinado.

Testemunho chocante de um ex-satanista que realizava rituais satânicos em clínicas de aborto.

aborto_satanismo-701x454 (1)
Em diversas ocasiões, sobre tudo recentes, encontramos o fato de que durante polêmicas, muitas vezes na rua diante de um tribunal, numa Câmara municipal ou diante de uma clínica do aborto nos EUA, os militantes da cultura da morte entoavam slogans louvando a Satanás.
Essa atitude extremista podia se entender como resultado de um estado de extrema irritação, e não ao pé da letra.
O movimento satanista fez um rumoroso ingresso na grande mídia quando o grupo o chamado Templo Satânico tentou fazer uma “missa negra” pública na Universidade de Harvard. Não conseguiu pela resistência dos católicos. 
Porém, mais tarde conseguiu fazer uma “missa” dessas nas instalações da prefeitura de Oklahoma City.
blackmassproteststfrancis
Hora Santa de Reparação na igreja de São Francisco de Assis em Oklahoma City
E por boca de seu porta-voz Lucien Greaves passou a reivindicar o satanismo como uma “religião” que considera o aborto como um de seus “sacramentos”, entre outras abominações.
À luz dos vídeos recentes expondo o tráfico de órgãos e tecidos de bebês abortados da Planned Parenthood, o Lepanto Institute entrevistou o ex-satanista Zachary King. Zachary era um menino comum de um bairro americano que cresceu em uma família batista. Ele começou a praticar magia aos 10 anos de idade, se juntou a uma seita satânica aos 13 anos e tinha quebrado todos os 10 Mandamentos quando tinha 15 anos. Desde sua adolescência até a idade adulta, ele se esforçou para chegar até a categoria de Sumo Sacerdote na seita e era um ativo divulgador do satanismo, incluindo abortos ritualísticos. Zachary está atualmente escrevendo sobre suas experiências em um livro intitulado “O aborto é um sacrifício satânico”.

5 passos para perdoar seu(sua) esposo(a)

Sad couple after having quarrel © Rido / Shutterstock_Apresentamos, a seguir, um exercício prático de cura para preparar-se para o caminho do perdão. Você pode realizá-lo durante o tempo que achar necessário, mas sugerimos que seja pelo menos por uma semana, no início.

Como cônjuges, precisam dedicar um espaço, um tempo para um diálogo sincero e aberto.

O exercício do perdão

1. O primeiro passo é individual: no momento de mais calma do dia para cada um, pegue um caderno e um lápis.

2. É o momento de serenar o coração e pensar: por que motivos meu cônjuge precisa me perdoar? Em que falhei ou estou falhando? Por que razões sou consciente de que preciso receber perdão? Aqui é muito importante recordar: você está se colocando no lugar dele(a). Seja consciente dos seus erros e dos defeitos que incomodam ou prejudicam a vida conjugal e familiar.

Nota: escrever tudo o que vier à sua mente. Tudo aquilo que humildemente você reconheça como motivos para pedir perdão. É importante fazer isso durante vários dias. Deixar de lado os pensamentos referentes às “ofensas recebidas”. Primeiro, é preciso reconhecer os próprios erros, suas dívidas com seu cônjuge.

Os 5 sinais da vocação à vida religiosa


Woman with question mark on blackboard © gpointstudio / ShutterstockJesus chamou para apóstolos “aqueles que Ele quis”, depois de passar a noite em oração. A Igreja viu nisso o chamado ao sacerdócio e também às outras formas de vida religiosa. É Jesus quem chama o jovem à vida sacerdotal, o que não é fácil. A vida religiosa exige muitas renúncias para ser “todo de Deus”, estar a serviço do Seu Reino para a edificação da Igreja e a salvação das almas.

A palavra “vocação” vem do latim vocare, que quer dizer “chamar”. Deus põe no coração do jovem esse desejo de servi-loradicalmente, indiviso, full time, em tempo integral, sem divisão.

As incríveis histórias de 5 santos que lutaram contra o demônio


five saints
O mundo espiritual é real e nele ocorrem verdadeiros combates. Em algumas partes da bíblia são mencionadas as lutas que existem contra o demônio e a carne, porque quanto mais próxima a Deus a pessoa, mais será tentada.

A seguir, foram selecionadas algumas histórias pela página ChurchPop.com. O objetivo destas histórias não e gerar medo, mas serve como advertência de que Satanás e as tentações ao pecado são reais, embora geralmente não sejam visíveis.

Antes queremos deixar duas passagens bíblicas para entender melhor o contexto:
 

“Revesti-vos da armadura de Deus, para que possais resistir às ciladas do demônio. Pois não é contra homens de carne e sangue que temos de lutar, mas contra os principados e potestades, contra os príncipes deste mundo tenebroso, contra as forças espirituais do mal (espalhadas) nos ares. (Efésios.6, 11-12)