segunda-feira, 16 de junho de 2014

As 3 lições de Francisco para uma Copa 'de solidariedade'

Em mensagem aos brasileiros sobre a Copa do Mundo de Futebol divulgada ontem (11), o Papa Francisco afirma que é preciso superar o racismo e que o futebol deve ser uma escola de construção para uma cultura do encontro, que permita a paz e a harmonia.

O Papa usa também uma gíria brasileira para defender o espírito de equipe não só no esporte, mas entre as pessoas e culturas: "Não é só no futebol que ser 'fominha' constitui um obstáculo para o bom resultado do time; pois, quando somos 'fominhas' na vida, ignorando as pessoas que nos rodeiam, toda a sociedade fica prejudicada".

O Papa afirma esperar que a Copa seja, além do esporte, festa de "solidariedade" entre os povos.

A Copa começa nesta quinta-feira, 12, com o jogo de abertura entre Brasil e Croácia, em São Paulo. Ao todo, 32 seleções disputarão 64 jogos e a final, marcada para 13 de julho, será realizada no Maracanã, no Rio de Janeiro.

Abaixo, a íntegra da mensagem do Papa Francisco aos brasileiros:

"Queridos amigos,

É com grande alegria que me dirijo a vocês todos, amantes do futebol, por ocasião da abertura da Copa do Mundo de 2014 no Brasil. Quero enviar uma saudação calorosa aos organizadores e participantes; a cada atleta e torcedor, bem como a todos os espectadores que, no estádio ou pela televisão, rádio e internet, acompanham este evento que supera as fronteiras de língua, cultura e nação.

As 30 horas de vida do pequeno Benedetto

Vestida de branco, muito simples, caminha abraçada ao marido Giovanni. Tudo nela fala de simplicidade: é Silvia, “mãe corajosa”. Seus olhos inchados enquanto falava de Benedetto:

Eu e Giovanni somos casados há quase 10 anos e temos quatro magníficos filhos: Agnese, 9 anos; Pietro, 7; Tommaso, 4 e Benedetto, nascido no dia 4 de abril deste ano e que faleceu no dia sucessivo, após (8 meses e) 30 horas de vida.

Desde que vivo em Cremona, presto serviço como voluntária no Centro Aiuto Vita, que fica no hospital. Isto me permitiu me confrontar mais vezes com a questão do aborto e com histórias difíceis de mulheres que enfrentaram gravidezes com várias dificuldades. Mas vivia tudo isto com uma certa distância e talvez um pouco inconscientemente, porque me achava sortuda, com meus três filhos e a minha vida tranquila.

No último ano tinha conhecido a história de Chiara Corbella Petrillo, que me comoveu muito, deixou-me sem ar, pela evidente simplicidade e alegria com a qual esta jovem mulher tinha afrontado suas provas, junto ao marido: como não desejar uma fé assim também para mim? Parecia-me impossível.

3 histórias de superação no futebol

Histórias de superação pessoal. Grandes jogadores de futebol, estrelas dos campos. Héctor Castro perdeu o braço aos 13 anos e, ainda assim, tornou-se o primeiro jogador uruguaio a fazer gol numa Copa do Mundo. Victorio Francisco Casa perdeu seu braço em plena carreira, mas isso não o impediu de ser um dos maiores craques da Argentina. Finalmente, Julio González Ferreira perdeu uma carreira promissora devido a um acidente de carro, mas nunca deixou de lutar.

Héctor Castro, primeiro uruguaio a fazer gol em uma Copa

Nascido em Montevidéu em 1904, Héctor Castro começou a jogar futebol na rua, como tantos outros meninos. Aos 10 anos, ele já trabalhava, mas aos 13 sofreu um acidente de trabalho: uma serra elétrica cortou seu braço direito, alguns centímetros abaixo do cotovelo.

Debutou com 16 anos e com 20 foi contratado pelo Nacional de Montevidéu. Jogou pelo Uruguai em 1930, na primeira Copa do Mundo da história.

Rede Nacional de Intercessão Junho - A RCC é uma corrente de graça para a Igreja

 
altNo domingo, dia 1º de junho, o santo padre o Papa Francisco participou em Roma de um evento organizado pela RCC da Itália, onde fez um importante pronunciamento para a RCC de todo o mundo. Diante da importância deste pronunciamento, o Núcleo Nacional do Ministério de Intercessão decidiu utilizá-lo como o assunto da Rede Nacional de Intercessão deste mês para que todos os intercessores reflitam sobre estas palavras que o papa Francisco dirigiu para nós.
Núcleo Nacional do Ministério de Intercessão

INTENÇÕES PARA ESTE MÊS
1.    Para que cesse a violência no Brasil e no mundo.
2.    Pelas eleições para deputados, governadores e presidente no Brasil em outubro.
3.    Pela unidade entre todos os membros da RCC do Brasil.
4.    Pelo XXXI Congresso Nacional da RCCBRASIL nos dia 17 a 20/07 em Aparecida/SP e pelo Encontro Nacional de Intercessão Profética nos dias 25 a 28/09 em Aparecida/SP.
5.    Pela Reunião de Oração do seu Grupo de Oração (pelo pregador, dirigente, músicos e demais servos e pelas pessoas que participam da Reunião de Oração).
6.    Pelos Grupos de Oração na sua Diocese, no seu Estado e no Brasil.
7.    Pelos Ministérios da RCC no seu Grupo de Oração, Diocese, Estado e no Brasil.
8.    Pelas necessidades espirituais e financeiras dos escritórios diocesano, estadual e nacional da RCC.
9.    Pelos projetos da RCC na Diocese, no Estado, no Brasil na América Latina e no Mundo.
10.  Pelos eventos de evangelização da RCC no seu Grupo de Oração, na sua Diocese, no seu Estado e no Brasil.
11.  Pela Reunião dos Conselhos Diocesano, Estadual e Nacional neste ano.
12.  Pelas coordenações do seu Grupo de Oração, da RCC na sua Diocese, no seu Estado e no Brasil (Coordenadora Nacional: Katia Roldi Zavaris e sua família).
13.  Pela Santa Igreja, pelo Santo Padre, o Papa Francisco, pelo seu Bispo diocesano, pelos Sacerdotes, Diáconos, Religiosos e Religiosas e pelos Seminaristas.
14.  Pelas casas de missão da RCCBRASIL e pelos missionários e missionárias.
15.  Pela construção da Sede Nacional da RCC do Brasil e pelos seus colaboradores.
16.  Para que todos os membros da RCC do Brasil se abram para a moção da Reconstrução.

Angelus: “O amor é a marca do cristão”


altO Papa Francisco assomou à janela do apartamento pontifício ao meio-dia deste domingo para rezar, com os milhares de fiéis reunidos na Praça São Pedro, a tradicional Oração mariana doAngelus, dedicada hoje a Santíssima Trindade, “o Pai, o Filho e o Espírito Santo, uma comunhão profunda e de amor perfeito, origem e meta de todo o universo e de toda criatura”.
“Na Trindade – disse o Pontífice - reconhecemos também o modelo da Igreja, na qual somos chamados a nos amar como Jesus nos amou”, e “o amor é a marca do cristão”:
É uma contradição pensar em cristãos que se odeiam. É uma contradição! É o que o diabo sempre procura fazer, nos fazer odiar, semeando a discórdia. Ele não conhece o amor de Deus. Todos somos chamados a testemunhar e anunciar a mensagem de que “Deus é amor”, que Deus não está longe ou é insensível às nossas vicissitudes. Ele está próximo de nós, está sempre ao nosso lado, caminha conosco para partilhar as nossas alegrias e as nossas dores, as nossas esperanças e os nossos cansaços.

Eucaristia: Deus deseja permanecer entre os homens

A Eucaristia é “fonte e ápice de toda a vida cristã” (LG,11).“Os demais sacramentos, assim como todos os ministérios eclesiásticos e tarefas apostólicas, se ligam à sagrada Eucaristia e a ela se ordenam. Pois a Eucaristia contém todo o bem espiritual da Igreja, a saber, o próprio Cristo,nossa Páscoa”(Cat 1324). A partir dessa definição podemos contemplar o que a Eucaristia significa para nós cristãos. Quão grande herança Jesus nos deixou: seu Corpo, seu Sangue que se unem de forma tão íntima aos nossos corpos, às nossas almas, às nossas vidas, às nossas histórias… à nossa história humana amparada sempre pela graça divina.

A Igreja católica e mais essa contribuição ao mundo: os nomes das notas musicais!


música-medieval

Quem batizou as notas musicais foi o monge beneditino italiano Guido d’Arezzo. Ainda no século 11, ele nomeou a escala ao se inspirar num hino a São João Batista, composto por outro monge, Paolo Diacono, três séculos antes. Veja os versos abaixo:
 Ut queant laxis…
 Resonare fibris…
 Mira gestorum…
 Famuli tuorum…
 Solve polluti…
 Labii reatum…
 Sancte Iohannes.
 Para entender a lógica, basta pular o primeiro verso e depois pegar a primeira sílaba de cada frase para reconhecer as notas – (Ut), Re, Mi, Fa, Sol, La… O “Si” ele adaptou, juntando as primeiras duas letras de “Sancte Iohannes” (São João). Cinco séculos depois, incomodado com o som da primeira sílaba, o músico Giovanni Maria Bononcini incrementou uma mudança: trocou o “Ut”pelo “Do”, de Dominus (Senhor). E, com essa benção celestial, sacramentou a nomenclatura das notas musicais.
 NOTA: Desde a Antiguidade, o padrão era usar letras para representar as notas (a única exceção, aliás, é o nosso sistema latino, que usa sílabas). Em países anglófonos, as notas são representadas por letras: C, D, E, F, G, A e B, respectivamente. Essa é uma das designações mais antigas, que nós usamos também em cifras. Mas o alfabeto grego arcaico, por exemplo, também já foi usado.
Fontes: Curso Completo de Teoria Musical e Solfejo, de Belmira Cardoso e Mário Mascarenhas; Enciclopédia Britânica; Enciclopédia Barsa. Via revista Superinteressante.
 

©2012 Grupo Renascer | Template Grupo Grupo Renascer by