VEJA NOSSOS ÁLBUNS DE FOTOS NO NOSSO FACEBOOK: facebook.com/gruporenascercamocim

sexta-feira, 2 de agosto de 2013

O Papa receberá Messi e a seleção da Argentina


O Papa receberá Messi e a seleção da ArgentinaNa terça-feira, 13 de agosto, o Papa Francisco receberá Lionel Messi e o resto dos integrantes da seleção Argentina no Vaticano, na véspera do amistoso que farão em Roma contra a Itália em homenagem ao Pontífice.
A ideia de jogar essa partida surgiu depois da eleição pontifícia de Jorge Mario Bergoglio, por iniciativa conjunta da Federação Italiana de Futebol (FIGC) e da Associação de Futebol Argentino (AFA).
A partida entre italianos e argentinos se realizará no estádio Olímpico de Roma, na quarta-feira 14 de agosto.
O porta-voz da Santa Sé, padre Federico Lombardi SJ, precisou que o Papa receberá em privado as duas seleções de futebol, mas não assistirá à partida.
“O Papa, nestes últimos meses, em ocasião das audiências gerais, já recebeu alguns jogadores de futebol” de diferentes nacionalidades, sobretudo argentinos e italianos, recordou.
Entre outros, o Santo Padre se reuniu com os dirigentes do clube San Lorenzo de Almagro da Argentina, equipe de que é sócio e torcedor, aos integrantes do clube italiano Juventus que atualmente é o campeão da liga desse país, ao histórico da seleção argentina e do Inter de Milão, Javier “o Pupi” Zanetti, e conversou brevemente também com Juan Martín del Potro, quem lhe deu de presente uma de suas raquetes de tênis.
Fonte: Aci Digital

Papa Francisco doou 20 mil euros para favela e hospital do Brasil

Papa Francisco doou 20 mil euros para favela e hospital do Brasil
O Papa Francisco deixou uma doação de 20 mil euros, equivalente a 26 mil dólares, para a favela Varginha e para o Hospital São Francisco de Assis da Providência na cidade do Rio de Janeiro, em sua recente visita ao Brasil para participar da Jornada Mundial da Juventude (JMJ) Rio 2013 realizada de 23 a 28 de julho deste ano.


O Arcebispo do Rio de Janeiro, Dom Orani Tempesta, em declarações ao jornal RJTV da rede Globo, afirmou que o Santo Padre tinha deixado “um auxílio” para a paróquia de Varginha e para o hospital.
Na quarta-feira 24 de julho o Papa Francisco ao visitar o centro de saúde, inaugurou uma sala de terapia psiquiátrica que tem como fim atender os jovens que estão em um processo de recuperação por consumo de crack. O Pontífice também se encontrou com pacientes com dependência química e escutou um par de testemunhos de jovens que tinham sido vítimas do vício.


A visita à comunidade de Varginha no complexo de Manguinhos, considerada uma zona pobre e violenta na Zona Norte da cidade carioca, realizou-se na quinta-feira 25 de julho. Neste encontro, o Santo Padre deixou uma mensagem de esperança aos residentes do lugar. Além disso, percorreu a pé algumas ruas e entrou em uma casa por alguns minutos e também escutou o testemunho de um casal local.

Fonte: Aci Digital

Arcebispo do Rio destaca impacto positivo da JMJ no Brasil

Arcebispo do Rio destaca impacto positivo da JMJ no Brasil
O Arcebispo do Rio de Janeiro (Brasil), Dom Orani Tempesta, afirmou que a Jornada Mundial da Juventude (JMJ) teve um impacto positivo no país, mas não só quanto a números e ganhos econômicos, mas também porque “Copacabana nunca viu tanta gente em paz, alegre e comprometida com a construção de um mundo melhor”, em alusão aos 3,7 milhões de jovens que encheram a praia durante a Missa de clausura.
“É Deus quem realiza as coisas. Tivemos mudanças desde o anúncio da realização do evento no Rio de Janeiro. Até o Papa mudou, mas conseguimos realizar uma bela Jornada e servir a todos os jovens”, afirmou nesta terça-feira 30 durante uma roda de imprensa em que agradeceu aos voluntários, famílias de acolhida e a todos os envolvidos na JMJ.
“Foi um evento sem violência, sem depredações. E esses sinais positivos que vimos na juventude devem perdurar. Queremos que esses jovens, impulsionados pela Jornada Mundial da Juventude, sigam sendo protagonistas de um mundo novo”, apontou.
Com respeito à afluência de peregrinos, o Prelado informou que estes foram aumentando conforme se aproximava a Missa de clausura. Assim, no primeiro dia da JMJ, os eventos em Copacabana, na Quinta da Boa Vista, Rio Centro e outros, reuniram a 600.000 pessoas; entretanto, já na Vigília do sábado, 27, se contava com 3,5 milhões de peregrinos, número que cresceu a 3,7 milhões para a Eucaristia final presidida pelo Papa Francisco.

Arqueólogos dizem ter encontrado pedaço da cruz de Jesus em escavações na Turquia

Arqueólogos dizem ter encontrado pedaço da cruz de Jesus em escavações na TurquiaO que pode ser um pedaço da cruz em que Jesus foi crucificado foi descoberto por arqueólogos durante uma escavação na Turquia.
Um baú de pedra encontrado no local onde foi edificado o templo da Igreja Balatlar continha uma relíquia, que pode ser parte da cruz.
De acordo com a Fox News, os itens foram descobertos durante uma escavação em larga escala no templo, que foi construído no ano de 660, perto do Mar Negro.
O líder da escavação, professor Gülgün Köroğlu, da Universidade Mimar Sinan de Belas Artes, na Turquia, disse que os artefatos estão ligados à crucificação de Jesus: “Esta caixa de pedra é muito importante para nós. Ele tem uma história e é o artefato mais importante que desenterraram até agora”, disse ao jornal Köroğlu quarta-feira.
Köroğlu afirmou que ele e sua equipe acreditam que o item encontrado faça parte da cruz de Jesus e seja o artefato mais importante descoberto nas escavações, que são financiadas pela União Europeia.
“Estamos trabalhando aqui há quatro anos e encontramos mais de 2 mil esqueletos. Espero que este ano seja uma temporada de trabalho muito proveitosa para nós. Aprendemos muitas coisas durante a escavação que não sabíamos anteriormente”, declarou o professor.

quinta-feira, 1 de agosto de 2013

A força irresistível de atração da VERDADE em 6 dias que marcaram o Brasil!


Elton Chitolina

Como reunir 3 milhões de jovens na praia numa manhã de domingo?

Como é que 3 milhões de jovens, vindos de 175 países, se reúnem na praia de Copacabana, entre uma noite de sábado e uma manhã de domingo, com infraestrutura precária, em pleno 2013, apesar de todos os ‘avanços’ da mentalidade laica, apesar de todos os escândalos envolvendo a religião em geral e o catolicismo em particular, apesar de toda a informação disponível à distância de um clique para bilhões de pessoas, durante uma crise financeira, econômica, política, cívica e moral de proporções históricas, no Brasil e em todo o planeta, para participar, com um papa argentino de 76 anos de idade, em uma missa católica?

Questões de fé à parte, na medida em que é possível deixar a fé à parte num evento explicitamente religioso, é preciso no mínimo supor que o celebrante principal dessa missa exerça uma  liderança acima da média neste momento crítico da jornada humana, em que todos querem expor e impor opiniões de todos os tipos e com todos os elementos do marketing, mas poucos conseguem articular uma proposta, não digamos capaz de mobilizar, nem sequer de parecer convincente, mas pelo menos de soar interessante.

Porque as feministas não “suportam” a Igreja Católica?


O cristianismo foi um motor propulsor da autêntica liberdade da mulher, afirma Lucetta Scaraffia, uma das mais conhecidas estudiosas do movimento feminista, professora de História na Universidade «La Sapienza» de Roma, nesta entrevista concedida a Zenit.
--Por que há correntes do movimento feminista que vêem sua relação com Igreja como um conflito irredutível?

–Lucetta Sacaraffia: Ainda quando a investigação histórica demonstrou que o cristianismo sempre mostrou um respeito e uma atenção às mulheres ignoradas nas demais tradições culturais, persiste a convicção de que a Igreja católica é desde sempre «inimiga das mulheres». Na realidade, se se vê desde a teologia ou desde a normativa eclesiástica à história social, a valorização da relação entre mulheres e Igreja se apresenta bem diferente.

A verdadeira inovação que trouxe o cristianismo foi a eleição da castidade como caminho espiritual, porque ela permitiu às mulheres evitar seu destino biológico. Pela primeira vez, de fato, a castidade se propôs como caminho espiritual a mulheres e homens: tratava-se de uma ideia revolucionária na medida em que permitia um acesso democrático, aberto então também a analfabetos e mulheres, para a evolução espiritual, para alguns até a santidade.