sábado, 3 de dezembro de 2011

Os perigos da meia conversão

Imagem de Destaquetexto Padre Zezinho

A maioria muda pensando em si e sai pensando em si

 Falemos dos convertidos para alguma fé. Uma coisa é seguir em frente na mesma fé herdada dos pais e assumida pessoalmente e outra optar por outro púlpito, outros pregadores, outras maneiras de orar, outra forma de ver a ação de Deus na pessoa e na comunidade.

De repente, alguém ferido no corpo e na alma encanta-se com as notícias de que, em determinados templos, existem curas e palavras de conforto. Não vai lá pelos dogmas e sim pela cura e pelo conforto. Em questão de fé, o sentir pesa muito mais do que o intuir ou o entender.

Na verdade, o convertido pensa em si, depois em Deus, Ele quer respostas que alguém lhe oferece em nome do Senhor e são aquelas respostas prometidas que levam um convertido ao novo templo. Ele queria e por enquanto achou um lugar e um ambiente que favoreça a prática de sua fé. Se vier a decepção sempre haverá outros templos e outras igrejas… Muda-se!
Quando o culto e as pregações da igreja na qual foi batizado não satisfazem e o entusiasmo e as pregações da outra igreja trazem respostas tipo: "Deus é", "Deus quis", "Deus quer", "Você foi escolhido", ele se identifica. "É a palavra que eu andava procurando…". Paulo toca no assunto quando escreve a Timóteo sobre os que procurariam outros mestres que diriam ou desejariam ter ouvido. (cf. Tm 4,-1-5). Sentir-se escolhido e eleito é outra coisa do que ser um no meio de bilhões. Esta singularização já levou muitas pessoas da grande para as pequenas comunidades onde são mais notadas e acolhidas.

Bento XVI: O mundo necessita testemunhas acreditáveis da fé


O Papa Bento XVI dirigiu uma mensagem à 16ª sessão pública das academias pontifícias que tratou o tema "Testemunhos e testemunhas. Os martyria e os campeões da fé", onde chamou os fiéis a serem "peregrinos da verdade e da paz" e assim testemunhas que dêem "credibilidade da fé".

"Também hoje a Igreja, quer falar de modo eficaz ao mundo, quer continuar a anunciar fielmente o Evangelho e fazer sentir sua presenta amigável aos homens e às mulheres que vivem suas existências sentem-se "peregrinos da verdade e da paz", devendo ser assim também nos contextos mais difíceis ou indiferentes ao anúncio evangélico, testemunhas da credibilidade da fé, oferecendo testemunhos concretos e proféticos por meio de sinais eficazes e transparentes de coerência, de fidelidade e de amor apaixonado e incondicional a Cristo, não se desligando da autentica caridade, do amor ao próximo", afirmou na mensagem lida pelo Secretário de estado, Cardeal Tarcicio Bertone.

Em sua mensagem, o Papa aproveitou para assinalar a necessidade de refletir sobre a historicidade do cristianismo e sua relação com a história humana, a que transforma "em profundidade graças ao fermento do Evangelho e da santidade vivida e testemunhada".

Disse que para isto reveste um interesse especial a vida das antigas comunidades cristãs e os lugares arqueológicos que guardam sinais de sua presença, como a Terra Santa, um "âmbito por excelência onde procurar sinais históricos da presença de Cristo e da primeira comunidade de seus discípulos".

Para os que “ainda” acreditam em tudo: Cientistas descartam profecia maia do fim do mundo em 2012.

Arqueólogos de diversos países se reuniram no Estado de Chiapas, uma área repleta de ruínas maias no sul do México, para discutir a teoria apocalíptica de que essa antiga civilização previra o fim do mundo em 2012.
A teoria, amplamente conhecida no país e contada aos visitantes tanto no México como na Guatemala, Belize e outras áreas onde os maias também se estabeleceram, teve sua origem no monumento nº 6 do sítio arqueológico de Tortuguero e em um ladrilho com hieróglifos localizado em Comalcalco, ambos centros cerimoniais em Tabasco, no sudeste do país.
O primeiro faz alusão a um evento místico que ocorreria no dia 21 de dezembro de 2012, durante o solstício do inverno, quando Bahlam Ajaw, um antigo governante do lugar, se encontra com Bolon Yokte’, um dos deuses que, na mitologia maia, participaram do início da era atual.
Até então, as mensagens gravadas em “estelas” – monumentos líticos, feitos em um único bloco de pedra, contendo inscrições sobre a história e a mitologia maias – eram interpretadas como uma profecia maia sobre o fim do mundo.
Entretanto, segundo o Instituto Nacional de Antropologia e História (Inah), uma revisão das estelas pré-hispânicas indica que, na verdade, nessa data de dezembro do ano que vem os maias esperavam simplesmente o regresso de Bolon Yokté.
“(Os maias) nunca disseram que haveria uma grande tragédia ou o fim do mundo em 2012″, disse à BBC o pesquisador Rodrigo Liendo, do Instituto de Pesquisas Antropológicas da Universidade Autônoma do México (Unam).

sexta-feira, 2 de dezembro de 2011

Árvore de Natal da Praça de São Pedro considerada a maior do mundo




A árvore de Natal do Vaticano chegou esta quinta-feira à Praça de São Pedro vinda pela primeira vez da Ucrânia, afirma o jornal L'Osservatore Romano', que apresenta o abeto de 30,5 metros de altura e 4,9 toneladas. Bento XVI vai acender aquela que é considerada a maior árvore de Natal do mundo, no dia 7, através de um toque em uma tablet.

Com um diâmetro de 56 centímetros de tronco, a árvore chegou da região de Zakarpattya (Transcarpazia), após uma viagem de sete dias e quase 1800 quilômetros.

Segundo o jornal do Vaticano, o abeto será decorado com mais de 2500 bolas vermelhas e prateadas e o mesmo número de luzes brancas e amarelas. A árvore foi recebida pelos trabalhadores dos Serviços Técnicos do Governatorato do Estado da Cidade do Vaticano, que na próxima segunda-feira vão montar a árvore junto ao obelisco da Praça São Pedro.

O L'Osservatore Romano relata que a árvore cresceu numa região de difícil acesso e foi retirada no último 22 e carregada por um helicóptero até a estrada mais próxima.

Quem ensinou Jesus a rezar?

Apresentamos a mensagem do papa durante a Audiência de quarta-feira.

***
Queridos irmãos e irmãs,
Depois de ter tratado alguns exemplos de oração no Antigo Testamento, convido-vos hoje a olhar para a oração de Jesus. Esta atravessa todos os momentos da sua vida, guiando-o até ao dom total de Si mesmo, segundo os desígnios de Deus Pai. Jesus é o nosso mestre de oração. Mas, quem O ensinou a rezar? O seu coração de homem aprendeu a rezar com a sua Mãe e a tradição judaica. Mas a sua oração brota duma fonte secreta, porque Ele é o Filho eterno de Deus, que, na sua santa humanidade, dirige a seu Pai a oração filial perfeita. Assim, olhando para a oração de Jesus, devemos nos perguntar: Como é a nossa oração? Quanto tempo dedicamos à nossa relação com Deus? Hoje, num mundo frequentemente fechado ao horizonte divino, os cristãos estão chamados a ser testemunhas de oração. E é através da nossa oração fiel e constante, na amizade profunda com Jesus, vivendo n'Ele e com Ele a relação filial com o Pai, que poderemos abrir, no mundo, as janelas para o Céu.
* * *
Saúdo os peregrinos de língua portuguesa, particularmente os brasileiros vindos de Lorena e de Curitiba, a quem desejo uma prática de oração constante e cheia de confiança para poderdes comunicar a todos quantos vivem ao vosso redor a alegria do encontro com o Senhor, luz para as nossas vidas! E que Ele vos abençoe a vós e às vossas famílias!
© Copyright 2011 - Libreria Editrice Vaticana
Autor: Zenit

Joseph Ratzinger: Resposta a objeções contra a doutrina da Igreja acerca da comunhão para fiéis divorciados e recasados.

A propósito de algumas objeções
contra a doutrina da Igreja
acerca da recepção da Comunhão eucarística
da parte de fiéis divorciados recasados (1)

Joseph Card. Ratzinger
A Carta da Congregação para a Doutrina da Fé sobre a recepção da Comunhão eucarística da parte de fiéis divorciados recasados, de 14 de Setembro de 1994, teve um forte eco em diversas partes da Igreja. Em paralelo com muitas reacções positivas ouviram-se também não poucas vozes críticas. As objecções essenciais contra a doutrina e a praxe da Igreja são apresentadas a seguir de forma simplificada.
Algumas objecções mais significativas – sobretudo a referência à praxe considerada mais flexível dos Padres da Igreja, que inspiraria a praxe das Igrejas orientais separadas de Roma, assim como a chamada aos princípios tradicionais da epiqueia e da «aequitas canonica» ­ foram estudadas de modo aprofundado pela Congregação para a Doutrina da Fé.
Os artigos dos Professores Pelland, Marcuzzi e Rodriguez Luño2 foram elaborados durante este estudo. Os resultados principais da pesquisa, que indicam a orientação de uma resposta às objecções feitas, serão aqui igualmente resumidas.

1. Muitos consideram, alegando alguns trechos do Novo Testamento, que a palavra de Jesus sobre a indissolubilidade do matrimónio permite uma aplicação flexível e não possa ser classificada numa categoria rigidamente jurídica.
Alguns exegetas realçam criticamente que o Magistério em relação à indissolubilidade do matrimónio citaria quase exclusivamente uma só perícope – isto é Mc 10, 11-12 – e não consideraria de modo suficiente outros trechos do Evangelho de Mateus e da primeira Carta aos Coríntios. Estes trechos bíblicos mencionariam uma certa «excepção» à palavra do Senhor sobre a indissolubilidade do matrimónio, isto é, no caso de «porneia» (Mt 5, 32; 19, 9) e no caso de separação por motivo de fé (1 Cor 7, 12-16). Estes textos seriam indicações de que os cristãos em situações difíceis teriam conhecido já no tempo apostólico uma aplicação flexível da palavra de Jesus.

Vaticano criará comissão para acompanhar a construção das novas igrejas no Mundo.

Vatican Insider

Nas próximas semanas, será criada, anexa à Congregação do Culto Divino, a “Comissão para a arte e a música sacra para a liturgia”. Não se trata de um simples escritório, mas de uma verdadeira equipe que terá a tarefa de colaborar com as comissões encarregadas de avaliar os projetos de construção de novas igrejas nas dioceses, assim como de aprofundar o tema da música e do canto que acompanham a celebração.

O cardeal Antonio Cañizares Llovera , Prefeito para o Culto Divino, de acordo com Bento XVI, considera este trabalho como “muito urgente”.
A realidade é evidente: nos últimos anos, as igrejas foram substituídas por construções que parecem mais salões multiuso que igrejas. E muitas vezes, os arquitetos, inclusive os mais famosos, não partem do que é a liturgia católica para fazer seus projetos e acabam fazendo construções de vanguarda que se parecem com tudo menos com uma igreja. Cubos de cimento, caixas de vidro, formas arriscadas, espaços confusos nos quais, uma vez dentro, se percebe tudo menos o sentido do sacro e do mistério, onde o tabernáculo está meio escondido e, às vezes, é preciso procurá-lo como se fosse um tesouro, ou onde as imagens sacras quase não têm lugar.

Governo do Irã confisca Bíblias e destrói igrejas declarando “guerra” ao cristianismo.


G Notícias
Mais de 6.500 Bíblias foram confiscadas, sites foram fechados e igrejas foram destruídas por autoridades iranianas em uma ofensiva do governo contra o crescimento do cristianismo no país.
Segundo a agência oficial de notícias Mehr, a ação se justifica por que “os missionários cristãos têm feito uma campanha milionária, com publicidade enganosa para que a opinião pública e a juventude se afastem dos ensinamentos do Islã”.
O aiatolá Hadi Jahangosha manifestou sua preocupação com a “expansão do cristianismo entre os jovens”, e culpou os meios eletrônicos de comunicação e a facilidade de acesso a literatura cristão pela expansão: “É responsabilidade de todos os cidadãos do Irã que façam algo sobre isso e cumpram seu papel na difusão do Islã puro, lutando contra as culturas falsas e distorcidas do Ocidente” disse o líder islâmico.
Segundo a agência cristã iraniana Mohabat News, um assessor do comitê de assuntos sociais do Parlamento do Irã confirmou que a maioria das milhares de Bíblias confiscadas veio das cidades de Zanjan e Abhar, Estado de Zanjan.

quinta-feira, 1 de dezembro de 2011

A armadura de Deus: Orar no Espírito

Como estudamos na Carta de São Paulo aos Efésios e especificamente no capítulo 6,10-18, somos guiados e instruídos por alguns conselhos espirituais para que possamos resistir aos ataques do inimigo que procura destruir as almas eternas de todos os homens e mulheres. São Paulo, nesta passagem clara e sucinta das Sagradas Escrituras, que chegou até nós através dos tempos, apresenta um ensinamento claro e eficaz ao qual devemos aderir. Lembrando-nos de que devemos, em primeiro lugar, buscar nossa força no Senhor e em seu poder (EF 6,10), São Paulo passa a relacionar as peças da armadura que um soldado romano usava para defender-se e também para atacar o inimigo, e os usa simbolicamente para nos ensinar como devemos usar a armadura espiritual que Deus nos deu para nos defender e derrotar o inimigo.
São Paulo então conclui com uma exortação à oração: “Orai em toda circunstância, pelo Espírito, no qual perseverai em intensa vigília de súplica por todos os cristãos”. Através do derramamento do Espírito Santo em Pentecostes e da promessa de que “A promessa é para vós, para os vossos filhos e para todos os que ouvirem de longe o apelo do Senhor, nosso Deus” (Atos 2,39), podemos fortalecer-nos no Espírito Santo e usar os dons que Ele deu à Igreja, especialmente o dom da oração em línguas, como um meio para combater os ataques de Satanás e seus demônios, dos principados e potestades, contra os príncipes deste mundo tenebroso” (Ef 6,12).

Vasco da Gama vai catequizar atletas da base

O Clube de Regatas Vasco da Gama, fundado por portugueses e considerado o time mais católico do país, vai proporcionar aulas de catequese aos atletas das categorias de base no próximo ano.
“Encaminhar os meninos na fé cristã é importante”, disse o frei Eneas Berilli, 75 anos, responsável pela capela Nossa Senhora das Vitórias, ao repórter Sérgio Rangel, da Folha de São Paulo.
A capela, inaugurada em 1955, fica dentro do estádio do Vasco, o São Januário, atrás de uma das goleiras, e inviabilizou projetos de ampliação do estádio. A diretoria não permite a demolição da capela.
Em feriados católicos o clube não funciona. A maior parte dos jogadores do plantel oficial é evangélica e respeita a tradição do clube. Os atletas Felipe e Juninho Pernambucano são os jogadores mais ligados à fé católica.

Blog grupo Renascer Camocim com informações da ALC

2012: maias previam volta de deus e não fim do mundo, diz estudo



As previsões dos maias para dezembro de 2012 não se referem ao fim do mundo, mas ao retorno do deus Bolon Yokte, que voltaria ao término de uma era e ao começo de outra, segundo uma nova interpretação divulgada nesta quarta-feira pelo Instituto Nacional de Antropologia e História (INAH) do México.

Veja 10 teorias sobre o fim do mundo
Os especialistas Sven Gronemeyer e Barbara Macleod, da Universidade da Trobe, da Austrália, divulgaram uma nova interpretação das inscrições maias do sítio arqueológico de Tortuguero, durante a 7ª Mesa Redonda de Palenque, realizada no estado mexicano de Chiapas. A data de 21 de dezembro de 2012 citada nas inscrições do povo indígena maia gerou diversas especulações sobre supostas "profecias maias do fim do mundo", versão que foi rejeitada pelos arqueólogos e epigrafistas.

Brasil: Há 22% mais igrejas e 31,8% mais párocos do que em 2000


Revista Isto É
Uma igreja sem padre, uma fé sem igreja. Entre os europeus esse cenário é mais do que possível. A descristianização da Europa, que outrora foi responsável por levar o Evangelho à América Latina, atingiu um grau tão elevado que há uma corrente de teólogos que acredita que o catolicismo esteja dando adeus ao Velho Continente.
Na Holanda, por exemplo, a diocese de Den Bosch, no sul do país, estuda deixar na ativa apenas um quinto das atuais 250 paróquias. O destino da maioria delas poderá ser a transformação em museus e livrarias, o funcionamento esporádico com missa apenas uma vez por semana ou a demolição. “Não há padres, fiéis ou dinheiro suficientes para mantê-las”, diz o frei Jan Bolten, um holandês que, por mais de 40 anos, foi missionário no Brasil e que há três foi escalado para retornar para a sua terra natal. “Os bispos daqui estão buscando padres no Exterior.” Um dos países que têm exportado seus sacerdotes para o Velho Mundo é o Brasil, que outrora mandava seus jovens vocacionados para a África e Ásia.
Bolten e os freis João de Deus Campos, 42 anos, e Luciano Henrique Veras Tito, 33, desembarcaram no frio vilarejo de Handel, no município de Gemert, próximo da Alemanha, com a missão de não permitir que a chama da congregação dos carmelitas descalços se apagasse. Os três moram na paróquia Nossa Senhora da Assunção e formam uma atuante comunidade católica, algo que não existia quando a igreja era tocada por um holandês. Mineiro de São Lourenço, João de Deus era vigário paroquial em Caratinga (MG) antes de se mudar para a Europa. “Mas eu não celebro somente em Handel”, diz ele. “Já rezei missa em outras 20 igrejas holandesas.”

EXPONATAL oferece diversidade de atrativos

A feira antecede ao Natal e pretende resgatar o sentido do período
A Comunidade Shalom realiza de 2 a 4 de dezembro a EXPONATAL 2011, feira que reúne exposição de produtos e serviços, apresentação de corais, concurso de presépios, bazar solidário, espaço infantil e o espetáculo Filho de Deus Menino Meu, em quatro sessões. A feira acontece no Centro de negócios do SEBRAE, a partir das  17h com ingressos populares.
“Queremos oferecer ao público uma programação para toda a família em preparação ao natal e resgatar o sentido deste período que aos poucos foi absorvido pelo consumismo”, disse Tobias Cortez, organizador da EXPONATAL 2011.

quarta-feira, 30 de novembro de 2011

O Papa João Paulo II explica-nos o Advento


O cristianismo vive o mistério da vinda real de Deus
"Já estamos habituados à palavra "advento". Sabemos o que significa, mas precisamente pelo facto de nos termos familiarizado com ela, talvez não cheguemos a compreender toda a riqueza que esse conceito encerra.

Advento significa "chegada".
Assim, devemos perguntar-nos: quem é que chega? E porque vem?
Para esta pergunta, encontramos logo a resposta. Até os pequeninos sabem que é Jesus que vem, para eles e para todos os homens. Vem numa noite a Belém, nasce numa gruta que servia de estábulo para os animais.
Isto, que as crianças sabem, sabem-no igualmente os adultos que compartilham a alegria dos pequeninos e que na noite de Natal parece tornarem-se, também eles criancinhas.
Contudo, muitas são as interrogações que devemos pôr-nos. O homem tem o direito e mesmo o dever, de perguntar, para saber. Há ainda, porém, quem duvide e embora compartilhe a alegria do Natal, pareça estranho à verdade que ele encerra.
É por isso que temos o tempo do Advento, de modo que todos os anos possamos penetrar de novo nesta verdade essencial do cristianismo.
A verdade do cristianismo corresponde a duas realidades fundamentais que não podemos nunca perder de vista. Ambas estão intimamente ligadas entre si. E, precisamente, esta ligação é tão intima, que uma realidade parece explicar a outra. Esta é a nota característica do cristianismo. A primeira realidade chama-se Deus, a segunda, o homem.
O cristianismo nasce de uma relação particular entre Deus e o homem.

CNBB publica notas oficiais sobre temas relevantes e atuais


COM INFORMAÇÕES DA CNBB  

Dom Raymundo Damasceno, arcebispo de Aparecida (SP) e presidente da Conferência nacional dos Bispos do Brasil (CNBB) juntamente com outros membros da presidência apresentou três notas oficiais da conferência: a primeira é uma nota de repúdio aos atos violentos e o clima de intimidação criado em torno das lideranças indígenas do povo Kaiowá e Guarani no Mato Grosso do Sul; a segunda é um chamado ao aprofundamento sobre a situação como o governo tem tratado as organizações da sociedade civil na necessária busca de um marco de regulação sobre o repasse de verbas públicas de forma a considerar todas as entidades do mesmo modo, desconhecendo a lisura e retidão de algumas que padecem as consequências de decisões como do Ato que susopendeu repasse de verbas de convênios firmados; e a última, é uma nota pastoral esclarecendo os riscos do uso de determinados termos tradicionalmente usados pela Igreja e que, agora, estão sendo apropriados por grupos religiosos que nâo têm vínculo com a Igreja Católica.
Confira, na íntegra, as três notas divulgadas:

Papa nomeia dois novos arcebispos para o Brasil

O Papa Bento XVI nomeou nesta quarta-feira, 30, dois novos arcebispos para o Brasil, mais especificamente para as cidades de Niterói, no Rio de Janeiro, e Porto Velho, em Rondônia. São eles: Dom José Francisco Rezende Dias e Dom Esmeraldo Barreira de Farias
Dom José Francisco, que até o momento era bispo de Duque Caxias, no Rio de Janeiro, assume a Arquidiocese de Niterói, no lugar de Dom Alano Maria Pena, que renunciou por já ter atingido a idade limite para o cargo. E Dom Esmeraldo, que até nomeação era bispo de Santarém, São Paulo, assume a Arquidiocese de Porto Velho, no lugar de Dom Moacyr Gretchi, que também renunciou por motivo de idade.
Dom José Francisco
Natural de Brasópolis, Minas Gerais, Dom José Francisco tem 55 anos. Recebeu sua ordenação sacerdotal em 1979 em sua cidade natal. Como sacerdote exerceu, entre outras, as funções de reitor da Comunidade de Teologia da Arquidiocese de Pouso Alegre em Taubaté, São Paulo; pároco da da Paróquia de Santa Rita de Caldas, em Minas Gerais; e vigário geral da Arquidiocese de Pouso Alegre, também em Minas Gerais.

Dia do evangélico é comemorado no Brasil mas só é feriado em Brasília

No dia 30 de novembro é comemorado o Dia Nacional do Evangélico, o decreto de Lei Nº 12.328 foi sancionado no ano de 2010 pelo presidente Lula, mas não institui um feriado nem ponto facultativo no Brasil.
A data já faz parte do calendário oficial de Brasília sendo que no Distrito Federal é feriado local, por isso vários órgãos deixam de prestar serviço, segundo informa alguns veículos noticiosos.

A instituição da data levanta polêmicas, de um lado pessoas que não aceitam que os evangélicos precisam de um dia no calendário oficial, já que outras religiões não possuem uma data para serem lembradas. De outro lado líderes cristãos que desejavam que o dia 30 se tornasse feriado nacional.

Lembra do “Divórcio Express” defendido pelo Governo do Brasil e criticado pela Igreja. Veja os frutos!

Ig
O Brasil registrou em 2010 a maior taxa geral de divórcio da história, segundo dados do estudo Estatísticas do Registro Civil 2010, divulgado pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). O índice chegou ao número de 1,8‰, superando o 1,5‰ de 2008. Esse número é obtido pela divisão do número de divórcios pela população e multiplicada por 1.000.
O recorde se deve principalmente às mudanças nas regras de divórcios e separações estabelecidos no último ano. No Brasil, o divórcio e a separação foram instituídos e regulamentados em 1977. Até aquela data, o desquite era o dispositivo legal para a dissolução dos casamentos sem, no entanto, possibilitar nova união formal.
À época de sua criação, a separação legalizava-se por meio de processo judicial. O processo poderia ter caráter consensual, quando as duas partes estavam de acordo com os termos da separação e tinham pelo menos um ano de casados, ou litigioso. O divórcio também era formalizado através de processo instituído na Justiça três anos após a concessão da separação ou cinco anos após a separação de fato. Esses prazos foram alterados pela Constituição de 1988, reduzindo-os para dois anos, quando comprovada a separação de fato.
A partir de 4 de janeiro de 2007, os divórcios e separações puderam ser requeridos por via administrativa, nos tabelionatos de notas do País. Posteriormente, em julho de 2010, a alteração no artigo suprimiu do texto constitucional as referências ao instituto da separação e aos seus consequentes prazos, de modo que, atualmente, é possível requerer a dissolução do casamento a qualquer tempo, seja o divórcio de natureza consensual ou litigiosa.

terça-feira, 29 de novembro de 2011

'Bíblia para todos' agora em áudio


Versão em português corrente pode agora ser ouvida em qualquer lugar (foto ASF)Foi ontem lançada, na Baixa lisboeta, ‘A Bíblia para todos’, um audiobook do Novo Testamento das escrituras da Bíblia.
O objectivo desta edição, distribuída em CD, é levar as escrituras a quem de outro modo não teria a possibilidade de as apreciar, seja por analfabetismo, problemas visuais, ou simples falta de tempo. Agora, todos podem passar a... escutá-las.
Estas foram as principais razões apontadas para a falta de interesse na Bíblia, num estudo de mercado realizado, tal como a linguagem arcaica e difícil de compreender, algo que esta versão procura colmatar. Além da passagem para áudio, ‘A Bíblia para todos’ traduziu os próprios textos, convertendo-os para português corrente e acessível, de modo a poder ser compreendido e apreciado de igual forma por todos.
Segundo Lídia Fletcher, uma das responsáveis pelo projecto, em Portugal mais de 170 mil pessoas têm problemas graves de visão, cerca de 10% da população não sabe ler, e mais de 600 mil pessoas têm mais de 60 anos, tudo razões que dificultam o acesso à Blíblia e à sua mensagem, algo que pode agora ser superado através desta edição em audiobook, à simples distância de um toque de botão.

"Igreja-caravela" vai ser inaugurada sábado

A 'igreja-caravela' desenhada pelo arquitecto Troufa Real para a paróquia de São Francisco Xavier, no Restelo, em Lisboa, vai ser inaugurada no próximo sábado, apesar da contestação que motivou, adiantou hoje o Patriarcado de Lisboa.
Nuno Fernandes, padre responsável pela comunicação do Patriarcado, disse que a 'igreja-caravela' - que vai substituir os armazéns onde agora funciona a paróquia de São Francisco Xavier - é inaugurada pelas 16 horas.
A primeira pedra desta obra foi lançada há cerca de 15 anos pelo então presidente da Câmara de Lisboa João Soares (PS) e o projecto inicial previa uma igreja em forma de caravela dourada, uma torre de 95 metros com uma sala panorâmica revestida de vidro, a 60 metros de altura, e outros quatro edifícios, «pequenas pirâmides laranja» que vão acolher parte dos serviços paroquiais.
Estas características, principalmente pela volumetria e forma do edifício, mas também pela ostentação do dourado exterior, causaram polémica desde sempre, não só de populares, mas também de arquitectos e deputados lisboetas, que apelavam à revisão do projeto.
As obras tiveram início apenas em Novembro de 2009, depois de um longo processo de licenças que se concretizou apenas em outubro desse mesmo ano.
Com um orçamento de três milhões de euros para esta primeira fase de obra que é inaugurada no sábado, um terço da construção foi financiado por donativos de crentes. Os restantes dois milhões foram conseguidos através de empréstimo bancário.
Depois da polémica, foram as limitações orçamentais da paróquia que levaram a equipa de construção a substituir o contestado dourado da caravela por cor ferrugem.
Outra das características mais polémicas da nova igreja de São Francisco Xavier, a torre de 95 metros, também não avançou, disse à agência Lusa o padre daquela paróquia, António Colimão.
A obra de Troufa Real baseia-se na vida do Apóstolo do Oriente, S. Francisco Xavier, da Índia ao Japão, e na aventura portuguesa dos Descobrimentos.

Notícias Cristãs com informações da Lusa/SOL


Senado realiza audiência pública para discutir as propostas do PLC 122.

Juntamente com os senadores estarão os presidentes da AOB e da CNBB
Os senadores da Comissão de Direitos Humanos e Legislação Participativa (CDH) realizarão hoje mais uma audiência pública para discutir o projeto de lei que criminaliza a homofobia. Dessa vez eles vão falar sobre a ampliação da Lei 7.716/1989, que trata sobre a discriminação decorrente de raça, religião e origem.
A ideia é acrescentar à essa legislação os crimes de discriminação por gênero, sexo e orientação sexual, esse é o objetivo do PLC 122/2006 que já esteve em pauta na CDH em maio deste ano, mas foi retirada por falta de entendimento para votação.
A proposto será discutida com os os presidentes da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB), Ophir Cavalcante; da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB), Raymundo Damasceno Assis; e da Frente Nacional Cristã de Ação Social e Política (Fenasp), Wilton Costa.
A audiência pública foi sugerida pelo senador Magno Malta (PR-ES) que é contrário à alguns items do texto do PL 122, o mais polêmico se refere as opiniões contrárias ao homossexualismo, classificando-as como crime.

segunda-feira, 28 de novembro de 2011

Advento, a realização e confirmação da Aliança

Imagem de Destaque
É uma trajetória que passa pela fidelidade a Deus e ao próximo
Começamos novo Ano Litúrgico e um novo ciclo da liturgia com o Advento, tempo de preparação para o nascimento de Jesus Cristo no Natal. É hora de renovação das esperanças, com a advertência do próprio Cristo, quando diz: “Vigiai!”, para não sermos surpreendidos.

A chegada do Natal, preparado pelo ciclo do Advento, é a realização e confirmação da Aliança anunciada no passado pelos profetas. É a Aliança do amor realizada plenamente em Jesus Cristo e na vida de todos aqueles que praticam a justiça e confiam na Palavra de Deus.

Estamos em tempo de educação de nossa fé, quando Deus se apresenta como oleiro, que trabalha o barro, dando a ele formas diversas. Nós somos como argila, que deve ser transformada conforme a vontade do oleiro. É a ação de Deus em nossa vida, transformando-a de Seu jeito.

Neste caminho de mudanças, Deus nos deu diversos dons conforme as possibilidades de cada um. E somos conduzidos pelas exigências da Palavra de Deus. É uma trajetória que passa pela fidelidade ao Todo-poderoso e ao próximo, porque ninguém ama a Deus não amando também o seu irmão.

70 anos de Sacerdócio de Monsenhor Tibúrcio

blog Grupo Renascercom informações do santuário deFátima

alt

“Este é o dia que o Senhor fez; exultemos e alegremo-nos nele” (Sl 118,24
Tianguá, 23 de novembro de 2011 (SISF). Em solene liturgia, presidida pelo Bispo, D. Francisco Javier, a Diocese de Tianguá celebrou na noite do dia 23/11/11, uma solenidade rara – 70 anos de Sacerdócio de Monsenhor Tibúrcio Gonçalves de Paula. Memória de um dia de graças. Há 70 anos Dom José Tupinambá da Frota, então Bispo de Sobral, o ordenava na Matriz  de São Benedito. Que honra e graça poder participar desta festa.

Monsenhor Tibúrcio é a melhor referência de sacerdote integro e fiel da Diocese de Tianguá, dotado de uma inteligência e lucidez finíssimas, se destaca, no entanto, pelo testemunho de humildade, fidelidade e incansável dedicação ao povo de Deus.

A missa aconteceu às 19h00 na Catedral de Sant’Ana, além de D. Javier e Mons. Tibúrcio, estiveram presentes os padres: Mons. Tarcísio, Mons. Martins, Pe. Luiz Gonzaga, Pe. Antônio Irineu,  Pe. Arnalton, Pe. Clodoaldo, Pe. Lúcio, Pe. Olívio, Pe. Manoel, Pe. Sebastião e Pe. Lusmar.
A liturgia destacou a figura do Bom Pastor, e não precisa fazer força para identificar no Mons. Tibúrcio inúmeras virtudes do Bom Pastor. Sua Caridade Pastoral, integridade, lealdade, zelo, humildade e seualt espírito humanitário e prestativo.
Pela sua timidez e espirito introspectivo, nunca fez ou faz propaganda das inumeráveis obras que realizara e ainda realiza. Mesmo não sendo mais o pároco de Tianguá, desde agosto de 1971, é o grande responsável pela expansão da Paróquia, conquistando terrenos e construindo capelas pelos bairros e periferia da cidade.
No campo social e educativo, poucos fizeram tanto e tão bem quanto ele. No campo do ensino deve-se a ele a implantação do ginásio e da escola normal de Tianguá, e mais recentemente um Campus avançado da Universidade Vale do Acaraú. Não dá para descrever aqui em tão poucas linhas a vasta obra de Mons. Tibúrcio.
Necessário é, no entanto, que se diga, este homem nasceu para ser aquilo que é. Um sacerdote. Seu testemunho, seu exemplo, é um patrimônio incomensurável para as novas gerações de padres. Se Jesus, o Bom Pastor, é o modelo de sacerdote; Mons. Tibúrcio é, nas palavras e ações, manifestação do Cristo Bom Pastor.

Por que os jovens abandonam a Igreja?

É sabido que muitos jovens deixam de ser frequentadores ativos da Igreja.
O livro You Lost Me: Why Young Christians are Leaving the Church... and Rethinking Faith ["Fui! - Por que jovens cristãos estão abandonando a Igreja... e repensando a fé"], da Baker Books, analisa uma vasta pesquisa estatística do Grupo Barna para descobrir quais são as razões que levam os jovens para longe da Igreja.
Os autores David Kinnaman e Aly Hawkins analisaram uma enorme gama de estatísticas e apontaram três realidades particularmente importantes sobre a situação dos jovens.
1. As igrejas têm um envolvimento ativo com os adolescentes, mas depois da crisma, muitos deles param de ir à igreja. Poucos se tornam adulto seguidores de Cristo.
2. As razões pelas quais as pessoas abandonam a Igreja são diversificadas: é importante não generalizar sobre as novas gerações.
3. As igrejas têm dificuldade para formar a próxima geração a seguir a Cristo por causa de uma cultura em constante mudança.
Kinnaman explicou que não se trata de uma diferença de gerações. Não é verdade que os adolescentes de hoje sejam menos ativos na Igreja do que os de épocas anteriores. Aliás, quatro em cada cinco adolescentes na América do Norte, por exemplo, ainda passam parte da infância ou da adolescência numa congregação cristã ou numa paróquia. O que acontece é que a formação que eles recebem não é profunda o suficiente, e desaparece quando os jovens chegam à casa dos 20 anos de idade.
Para católicos e protestantes, a faixa etária dos vinte é a de menos compromisso cristão, independentemente da experiência religiosa vivida.

Cidadão vai a justiça contra Papa Bento XVI por ele não usar cinto de segurança no Papamóvel

Cidadão vai a justiça contra Papa Bento XVI por ele não usar cinto de segurança no Papamóvel
A denuncia foi feita por um cidadão não identificado que acionou judicialmente o Papa por não usar o cinto de segurança no Papamóvel, uma infração de trânsito. Na ação é citada também que o presidente da Conferência Episcopal Alemã pode servir de testemunha no processo por também estar acompanhando o Papa no momento do “crime”, ele e mais outro nome do alto escalão da Igreja Católica do país podem ser intimados caso a investigação prossiga.
Segundo o jornal alemão Westfälische Rundschau o Ministério Público questiona a validade da ação contra o Papa por ele ser um chefe de estado em visita a Alemanha e por isso teria imunidade diplomática. Já o advogado do cidadão que denunciou diz que independente do que o Ministério Público acredita, o Papa deveria usar o cinto para sua segurança e para dar exemplo a todos.
O Papa viaja diversos países pelo mundo e sempre utiliza o seu próprio veículo personalizado para se locomover. O Papamóvel, com seus vidros a prova de balas e design feito para facilitar aos fiéis que vejam o líder, é um símbolo dos papas.
Não se sabe se o processo irá evoluir ou será arquivado.

Ateus travam batalha contra estátua de Jesus nos Estados Unidos.

IG - The New York Times
Eles o chamam de Big Mountain Jesus, ou Jesus da Grande Montanha: trata-se de uma estátua de 1,8 m de Cristo, envolto em um manto azul bebê, que observa o majestoso Vale Flathead de seu púlpito localizado em uma pista de esqui no Resorte Whitefish Mountain, em Montana.
Ele está lá há mais de 50 anos e foi erguido pelo grupo local dos Cavaleiros de Colombo em homenagem aos soldados da 10ª Divisão de Montanha que disseram ter visto santuários semelhantes nas montanhas da Itália durante a Segunda Guerra Mundial (1939 – 1945).

Esses dias, porém, a estátua de Jesus está no centro de uma batalha cada vez mais amarga sobre a legalidade de tais símbolos em terras federais.
Um grupo ateu diz que como o Big Mountain Jesus fica em propriedade que pertence ao Serviço Florestal, ele é uma violação do princípio constitucional de separação entre Igreja e Estado.
Depois de receber uma denúncia sobre a estátua, o grupo Freedom From Religion Foundation (Fundação Liberdade da Religião, em tradução livre), com sede em Wisconsin, pediu ao Serviço Florestal que revogue a autorização concedida aos Cavaleiros de Colombo para que mantenham a estátua no local.
“Isso é muito simples”, disse Annie Laurie Gaylor, co-presidente do grupo. “A violação não se torna menos flagrante só porque ela acontece há muito tempo.” Gaylor disse que ela não teria nenhum problema com a estátua, caso ela estivesse em uma propriedade privada.
Mas os defensores da estátua argumentam que ela deveria ser vista como um memorial militar, não como algo religioso, e apontam que o Serviço Florestal renovou a licença ao longo dos anos sem nenhum problema.

domingo, 27 de novembro de 2011

liturgia do domingo

I DOMINGO ADVENTO: Mc 13,33-37

Ano B: Considerações iniciais sobre o evangelho de Marcos.
O evangelho de Marcos é o menor dos quatro que existem no NT. Composto de poucos capítulos, este evangelho também é o mais antigo, e, por isso, possui uma linguagem mais primitiva, e, consequentemente, mais difícil de se entender; mas, por outro lado, desde o seu início mostra a sua finalidade: “Início do Evangelho de Jesus Cristo, o Filho de Deus” (Mc 1,1). Ou seja, a obra inteira quer responder à questão: quem é Jesus? Além disso, por ser o mais antigo e por ter servido de fonte para os outros evangelistas, é o que mais se aproxima da realidade com relação aos fatos e palavras pronunciadas por Jesus.
Há muitos relatos em Mc em que se nota a preocupação de ir revelando Jesus pouco a pouco, o que se chama normalmente de “segredo messiânico”, já que faz com que o interlocutor vá descobrindo o Cristo gradativamente e de maneira correta. E, justamente por essa razão, o evangelho de Marcos continua muito atual no mundo globalizado de hoje, em que muitos admiram a figura de Jesus, mas cada um com sua visão, o que pode gerar confusão no conceito que nós, cristãos, devemos ter de sua Pessoa.
De fato, Jesus é visto como um homem muito bom segundo alguns historiadores, um revolucionário segundo outros, um espírito iluminado segundo a doutrina espírita, um profeta que virá no juízo final segundo o islamismo, uma divindade entre tantas outras segundo as religiões afro-brasileiras. Muitas visões são positivas, mas não constituem a pregada pelo cristianismo. Por isso, é de grande urgência a leitura da obra de Marcos para nós cristãos católicos: pois devemos saber que Jesus é o Filho de Deus, é o próprio Deus feito homem.

“Casamentos” homossexuais, o que pensar?

Fonte: O “Instituto Valenciano de Fertilidad, Sexualidad y Relaciones Familiares” (IVAF) publicou  12 razões que mostram os prejuízos dos casamentos gays.
Autor: www.ivaf.org
“As crianças têm direito a uma família e a um casamento normal”
1 – Os homossexuais como todos, podem casar-se e não é discriminatório que muitos prefiram não fazê-lo. Os homossexuais podem casar-se com os mesmos direitos e obrigações que os heterossexuais. Quer dizer, só com outra pessoa e do sexo oposto e que tenha certa idade e dê seu consentimento. Que um homossexual se queixe de discriminação porque não lhe deixam casar-se com alguém do mesmo sexo é como se um polígamo se queixasse de discriminação porque não lhe deixam casar-se com várias mulheres… Não há discriminação: a lei é igual para todos e a sociedade tem um  modelo de casamento que tem demonstrado a sua eficiência durante séculos.
2 - Casais homossexuais é um experimento social inédito; é um experimento social que nunca antes foi tentado. Nenhuma civilização implantou o casamento homossexual. Mesmo as sociedades que permitiam a homossexualidade e até a fomentavam em certas idades e classes sociais, como os gregos antigos, entendiam claramente o casamento como a união estável entre um homem e uma mulher abertos a terem filhos. Uma coisa eram as práticas sexuais dos cidadãos, e outra muito diferente a família, a geração e a educação dos filhos. A homossexualidade assumiu  muitas formas em distintas sociedades, mas nunca foi relacionada com o casamento. Fazer experiências com o modelo social é irresponsabilidade e perigoso, embora  muitos defendam essa experiência por razões ideológicas de repúdio à família e não por razões científicas e nem sequer  de demanda social (a imensa maioria da população mundial é contra)
3 - Não existe o gen homossexual. O homossexual não nasce, se faz. Não é possível demonstrar cientificamente que a homossexualidade está ligada à herança genética ou que a tendência a ser homossexual esteja determinada desde o nascimento. O que está demonstrado e que é defendido por um amplo e respeitável setor científico é que a prevalência da tendência homossexual obedece a fatores ambientais e está condicionada pela própria psicologia e educação. Qualquer pessoa pode realizar atos homossexuais se quiser e pode também deixar de realizá-los se quiser. Por isso, a maioria dos homossexuais pode deixar de sê-lo como a terapia clínica tem demonstrado… Um ambiente favorável à homossexualidade aumenta o número deles nesse ambiente; por outro lado, em um ambiente onde a homossexualidade é tolerada mas não propagada, diminui o número de homossexuais.
4 - Para evitar os abusos contra os homossexuais não é preciso aprovar o casamento de homossexuais. Quase todos  os benefícios de um matrimônio a nível de heranças, transmissão de bens, propriedades compartilhadas, etc., podem ser regulados por duas pessoas, ou mais, com acordos legais, independentemente de que tenham relações sexuais. De fato os poucos pares homossexuais realmente interessados nesses temas já estabeleceram acordos entre si. O problema aqui é muitas vezes outro: a instabilidade dessas relações faz com que muitas das previsões relativas ao casamento não sejam aptas para as uniões homossexuais, por essa instabilidade. Se um homossexual varão tem como média relações com 39 pessoas ao longo de sua vida, com quantas se casará? De quantas de divorciará? Quais delas terão esses direitos legais, posto que com todas, ou algumas, estiveram casadas? E quando estiver se fartado de casar, não terão os pares posteriores esses mesmos direitos?
5 - Legalizar o matrimônio homossexual estabelece uma distorção em comparação com as pessoas que vivem juntas sem relações sexuais. Duas idosas que vivem juntas, três irmãos em uma casa, quatro amigos que compartilham a mesma casa há anos…, têm uma relação com afetividade, compromisso e convivência igual que podem ter dois homossexuais. Entretanto, se vêem privadas das vantagens legais do casamento gay porque não praticam sexo entre eles. O casamento gay em realidade premia os praticantes de certo tipo de sexo, privilegiando-lhes sobre outras convivências afetivas e estáveis. É evidente a diferença com o casamento comum, que premia a complementaridade homem-mulher estável e está aberta à geração e criação dos filhos.
6 – Legalizar o casamento homossexual estabelece um agravo comparativo com os polígamos…e com qualquer outra combinação numérica. Ao contrário do casamento homossexual que nunca foi aceito por nenhuma civilização, a poligamia tem uma larga tradição e  numerosos países e sociedades, inclusive em nossos dias. Se se casam dois homens, com que argumentos impediremos a nossos cidadãos muçulmanos ou de origem sub-saariana que não se casem com duas ou mais mulheres? Pode um emigrante pedir por reagrupação familiar e que venham suas três esposas? Ao menos, as uniões polígamas tradicionais têm filhos e são estáveis, o que é um bem social. Com que argumentos os defensores do casamento gay o impediriam? Nos ambientes homossexuais o que se pede é a aprovação da poligamia bissexual. Um famoso escritor o exemplificava em um número da revista homossexual Zero: um amigo seu está casado com uma  mulher, mãe de seus filhos; mas é homossexual, e tem uma relação com um homem. Por que esconder? Por que não casar-se todos entre eles? Assim, as crianças teriam dois pais. Quando o casamento deixa de ser o que é (um homem e uma mulher unidos em um ato de amor que pode gerar novas vidas), então, pode redefinir-se para ser qualquer coisa.

Além do pecado pessoal, porque alguns homens se tornam viciados em Pornografia?

Noticias Pró Família
- Numa conversa com um padre em minha diocese, compartilhei o relatório do meu diretor espiritual de que de cada duas confissões que ele ouve de homens, uma envolve o pecado da pornografia. A resposta do padre foi chocante: “Oh, é muito pior do que isso!” Desde então, essa triste realidade vem sendo confirmada por muitos outros: O pecado da pornografia está assolando muitos homens de Igreja
A pornografia é agora mais popular do que o futebol. Aliás, se tornou o passatempo dos Estados Unidos, e estamos inundados de pornografia. A pornografia está em nossos computadores, em nossos smartphones e nossas TV a cabo ou satélite. É comum em nossos hotéis e até mesmo em muitos estabelecimentos comerciais e postos de gasolina. Para muitos homens — e cada vez mais, mulheres — é parte de suas vidas diárias.
Contudo, o ensino católico sobre o assunto é claro. O uso da pornografia é uma “ofensa grave”. O Catecismo da Igreja Católica declara: “A pornografia… é uma ofensa contra a castidade porque perverte o ato conjugal, a doação íntima dos cônjuges um para o outro. Provoca grave dano à dignidade de seus participantes (atores, vendedores, o público), pois cada um se torna um objeto de prazer vil e lucro ilícito para outros” (2354).
No livro A Vida de Cristo (Life of Christ), o arcebispo Fulton J. Sheen escreveu: “A pena para aqueles que vivem perto demais da carne é jamais entenderem o espiritual”. A pornografia explícita na internet oferece um oceano de perversão. Leva a mente aonde jamais deveria ir, soltando suas amarras morais e deixando-a a deriva num traiçoeiro oceano de pecado. Esse é o destino trágico daqueles que se entregam à pornografia: Eles se acham só com suas imagens e um apetite insaciável por mais.
Embora seja assombroso para muitos, os usuários de pornografia acabam pondo a religião, o casamento, o trabalho e as amizades em segundo lugar depois de seu desejo por pornografia. Eles querem mudar, voltar à vida como era antes da pornografia.
A Dra. Mary Anne Layden, diretora do Programa de Trauma Sexual e Psicopatologia do Centro de Terapia Cognitiva da Universidade da Pensilvânia, assemelha a pornografia ao crack. Num depoimento juramentado no Senado dos EUA em novembro de 2004, ela comentou: “Esse material é potente, viciador e fica permanentemente implantado no cérebro”.
Lamentavelmente, para o consumidor normal de pornografia, a confissão e contrição são geralmente insuficientes para se desprender da pornografia porque, como o vício das drogas, a pornografia não é só um mau hábito — é muitas vezes um vício.
Um desejo que não satisfaz
O vício da pornografia é agora comum entre adultos e é até mesmo um problema crescente para crianças e adolescentes. Poucos dos que são viciados conseguirão ajuda, e as consequências podem durar a vida inteira, de forma grave.
 

©2012 Grupo Renascer | Template Grupo Grupo Renascer by