sábado, 1 de janeiro de 2011

Santa Maria Mãe de Deus


Fonte : encontrocomcristo.org

"Maria guardava cuidadosamente todos estes fatos e meditava sobre eles no seu coração".
Leituras: Nm 6, 22 - 27; Gl 4, 4 -7; Lc 2, 16 - 21
No oitavo dia da solenidade do Natal, no cume, por assim dizer, do dinamismo vital com que o Espírito Santo fecundou a Bem-Aventurada Virgem, a Igreja contempla e celebra na fé e na alegria o mistério de Maria, Mãe de Deus e Mãe da Igreja e da nova humanidade renascida em Cristo.
Durante o tempo do Advento, a liturgia ficou repetindo todos os dias a saudação do anjo: "Maria, alegra-te, ó cheia de graça, o Senhor está contigo; és bendita entre todas as mulheres da terra" (Liturgia das Horas: Antífona da Hora média; cf Lc 1, 28; 42).
A virgem Maria é saudada pelo anjo, e celebrada pela Igreja, como aquela que de maneira única está portando no seio e irradia ao redor de si mesma a graça de Deus feita pessoa, o Filho do Altíssimo que já no seu próprio nome, Jesus, indica sua profunda identidade e sua missão: revelar a benevolência do Pai, salvar e resgatar do mal toda a humanidade e abrir novamente para ela o caminho para a casa do Pai. Maria, Mãe de Deus, participa também na geração da nova humanidade, cujas primícias é a pessoa do próprio Jesus (cf. Rm 5, 15-19).
Deus continua seguindo o critério da simplicidade, da fraqueza, do "esvaziamento" (cf. Fil 2, 6-11); critério este, escolhido desde o início para se manifestar e atuar na história. Ele suscita a resposta livre da fé por parte de todos os parceiros que chama para colaborar na sua obra redentora. Assim como fez com Abraão, pai dos crentes, com os patriarcas e com os profetas, do mesmo modo atua com Maria e com José. Ao cumprir-se o tempo estabelecido por Deus de realizar seu projeto de salvação, não envia seu Filho do céu, em maneira espetacular, mas Ele "nasce de mulher" como todo homem, e está inserido na história gloriosa e ambígua do povo de Israel, destinatário primeiro da aliança e portador da esperança para todos os povos (cf. 2ª leitura - Gl 4, 4-5).
O lugar onde se cumprem as promessas de Deus e se manifesta a sua potência que salva não é a nobre cidade de Jerusalém, nem o lugar sagrado do templo, mas o menino recém-nascido, deitado numa manjedoura. Somente os pobres e os simples de coração, afinados com Deus, como os pastores, conseguem receber o surpreendente anúncio do céu e acreditar nele. Os pastores de Belém representam os pobres de todos os tempos, no solícito caminho rumo ao menino, assim como na capacidade de reconhecer com estupor no recém nascido da manjedoura, o Salvador esperado pelo povo e anunciado pelos anjos. Pela luz interior que os acompanha, eles se tornam "anunciadores da boa nova" até para aqueles que se encontram junto do menino, suscitando maravilha mesmo nos pais dele (Lc 2, 16-18).

Onde o Papa Bento XVI estava na passagem do ano?

Papa reza diante do presépio, no Vaticano.
Papa reza diante do presépio, no Vaticano.

Bento XVI presidiu nesta Quinta-feira, 31 de Dezembro, no Vaticano, à celebração das primeiras Vésperas da Solenidade de Maria Santíssima Mãe de Deus, seguida da exposição do Santíssimo Sacramento, do canto do «Te Deum» de agradecimento na conclusão do ano civil, e da bênção eucarística.
No final da celebração, o Papa visitou o presépio colocado no centro da Praça de São Pedro.
Hoje, com inicio às 10h00, Bento XVI presidiu a celebração da solenidade litúrgica de Maria Santíssima Mãe de Deus e por ocasião do 44º Dia Mundial da Paz, sobre o tema “liberdade religiosa, caminho para a paz”.
Com o Papa vão celebrar os cardeais Tarcisio Bertone, secretário de Estado do Vaticano, e Peter Kodwo Appiah Turkson, presidente do conselho pontifício justiça e paz.
Concelebram ainda os arcebispos Fernando Filoni, número dois da Secretaria de Estado, e Dominique Mamberti, secretario do Vaticano para as relações com os Estados, para além do bispo Mario Toso, secretário do conselho pontifício justiça e paz.

Fonte: Agencia Ecclesia

Você participa da Eucaristia de forma correta e digna?


Temos claro que a Santa Missa nada mais é do que a atualização do Sacrifício de Cristo. Neste sacramento temos a oportunidade de estar mais próximos de Deus, desde o início da celebração. Diante disso, um questionamento deve ser feito: qual deve ser a nossa postura durante a celebração eucarística?
O Papa Bento XVI, na Exortação apostólica Sacramentum Caritatis, diz: “(…) Jesus é o verdadeiro Cordeiro pascal, que se ofereceu espontaneamente a si mesmo em sacrifício por nós, realizando assim a nova e eterna aliança. A Eucaristia contém nela essa novidade radical, que nos é oferecida em cada celebração. (…)” (n. 9 – negritei)
Se temos a graça de renovar em cada Eucaristia a nova e eterna aliança com Cristo, nossa postura deve sempre ser a de adoração ao Deus que se faz presente. Cito um trecho de um belo texto de Fernanda Caminati Azevedo acerca desse tema:
“(…) Ao aproximarmo-nos da Diviníssima Eucaristia, é essencial compreender bem a quem iremos receber, e por assim sabermos, fazermos todo o possível para recebê-lo dignamente. A Santa Missa e a Comunhão são os centros da nossa fé, nestas horas não cabem quaisquer irreverências, mas todo o respeito, solenidade e reverência que pode merecer um Deus. Quando se inicia a Santa Missa, o católico deve esquecer-se de tudo mais que exista para ver somente o Cristo e oferecer-se com Ele; deve colocar-se no Calvário ao lado da Santíssima Mãe do Redentor; deve morrer misticamente com Jesus, para ressuscitar com Ele para uma vida de mais perfeição cristã; por isso o católico deve sair de cada Santa Missa melhor do que chegou a ela. (…)”

sexta-feira, 31 de dezembro de 2010

Da pós-modernidade ao primitivismo no início de cada ano

A cada início de ano é comum multiplicarem-se as simpatias e agouros que prometem um ano bom à base da magia e da superstição. O homem considerado pós-moderno retorna ao tempo das crendices, fase julgada superado por tantos sociólogos.
Cartomantes, mães de santos, quiromantes, numerólogos e demais esotéricos são figuras batidas na cobertura de Virada e começo de ano. Existe um sortilégio pra tudo, para se dá bem no amor, se arranjar profissionalmente. Cor e números, entes intangíveis também não faltam nas diretivas dos magos modernos.
As crenças nas profecias ocultistas extrapolam o senso comum e chegam à esfera pública. No Rio de Janeiro, por exemplo, a prefeitura renovou o convênio com a Fundação Cobra Coral, uma organização que prevê as condições climáticas a partir das orientações de um espírito, o cacique Cobra Coral.
Mas será mesmo que “lentilhas e pulinhos” garantem uma boa sorte? Tal subterfúgio apenas não revela uma oposição ao pensamento racional e à fé tradicional? Fitas, roupas e outras simpatias ofuscam o lugar que se deveria dar a incentivos a um planejamento concreto, seja de vida ou  orçamentário.
A cultura supersticiosa faz o homem regredir, o faz abrir mão da responsabilidade que lhe é própria. Deixa de ser o regente da própria existência como se quem o conduzisse fosse algum astro ou energia universal.
Um futuro melhor se constrói com força de trabalho, iniciativa, planejamento e uma fé madura e consciente. Ademais, as práticas mágicas deste tempo se perdem nas ondas do mar; tal como a fumaça, se esvaem aos primeiros ventos das adversidades.

Sinal de Xuxa no “Especial de Natal” da Globo gera controvérsia no meio cristão.

O fato da apresentadora ter mostrado com tanta veemência esse conhecido e público símbolo satânico não significa que a mesma seja isso, nem que esteja debochando de Deus como sugere o vídeo.
Vê-se pelo sinal da cruz, que antecede o “chifre”, a noção exata de sua “consciência” católica, já que os protestantes não usam o sinal da cruz, nem muito menos as seitas esotéricas.É um sinal da cruz digamos, diferente, mas sinaliza de alguma forma sua fé particular.
Fica a imagem a alimentar o imaginário coletivo da sociedade.
A nós cabe a reflexão e não o julgamento das intenções da artista que pertence somente a Deus.
Ademais, tem chegado a nós a informação de que esse símbolo (além do símbolo satanista, conhecido como “chifre de Bode”) na linguagem dos sinais  significa “Eu te amo!”, o que apenas referenda que não devemos julgar.

VEJA TODO O VIDEO CLICANDO AQUI !!!!!
E TIRE SUAS CONCLUSÕES 

significados de símbolos
Mão chifrada
Mão chifrada
Usado por artistas ligados à música (principalmente Rock) e seus fãs. Simboliza o louvor em rituais satânicos.
Sinal secreto para invocação de demônios: os dedos mínimo e indicador para cima, e os demais fechados. Simbologia muito em voga. Tem sido usado como  saudação. Esses símbolos são rapidamente assimilados pelos jovens.

Filipinas: Intervenção de Nossa Senhora explica a fé católica no país asiático.




“Esta foi uma importante vitória porque salvou o catolicismo em toda a Ásia.
Enquanto em qualquer outro lugar do continente asiático as falsas religiões se opunham, em geral, à implantação do catolicismo e faziam verter em abundância o sangue dos mártires, a conversão das Filipinas foi um evento sem paralelo na história: em 40 anos (de 1555 a 1605), sem que se derramasse uma só gota de sangue, o país se tornou um modelo de cristandade graças aos espanhóis. Para a Igreja, as Filipinas se tornaram uma base providencial da qual partiam legiões de missionários para outras terras da Ásia.
Em 15 de março de 1646, uma flotilha de navios protestantes holandeses, uma força naval formidável, chegou ao grande porto de Manila. Os espanhóis e os filipinos estavam desanimados, tendo à sua disposição nada mais do que dois navios mercantes – oEncarnação e o Rosário – que eles rapidamente armaram o melhor que puderam.

Egípcio perde familia e negócio por se converter a Cristo.

Cairo Capital do Egito 250x187 Egípcio perde familia e negócio por se converter a Cristo Fonte: Portas Abertas
Um egípcio que deixou o islã para se tornar cristão, e que por isso perdeu sua esposa, seus filhos, e o seu negócio, pode também perder a liberdade, acusado judicialmente de “difamação” ao islã.
Ashraf Thabet, de 45 anos, está sendo processado por difamar uma religião reconhecida, Artigo 98f do Código Penal Egípcio. As acusações se baseiam na busca de Thabet por uma realização espiritual, que durou seis anos, período em que ele expressou suas dúvidas a respeito do islã e revelou às pessoas que estava aprendendo sobre Jesus Cristo. “Não havia relacionamento espiritual entre eu e Deus no islã. Tudo era baseado no medo e na rotina”, ele revelou.
As autoridades religiosas locais, revoltadas com as idéias e os posicionamentos de Thabet (ele conheceu a Cristo através de sites na internet e ficou impressionado com Jesus após assistir ao filme “A Paixão de Cristo”, pedindo, em seguida, uma Bíblia a um amigo), comunicaram o fato ao Serviço de Inteligência e Segurança do Egito, que logo interrogou o “herege” e o indiciou por difamação religiosa.

Três irmãos se ordenam sacerdotes e celebram juntos primeira missa.

0
Três irmãos espanhóis, sacerdotes da Associação Clerical Virgo Flos Carmeli, dos Arautos do Evangelho, celebrarão sua primeira missa em sua cidade natal amanhã, 29 de dezembro, para a alegria de toda a Igreja local. Trata-se de do padre Leopoldo Werner Benjumea, Conde de San Isidro e seus irmãos, padre Pablo e Padre Carlos.
A missa será celebrada às 19h na Paróquia de San Miguel de Miramar e terá assistência musical do coro e conjunto instrumental dos Arautos do Evangelho. Ao término será realizado um breve concerto de canções de Natal.
A mãe dos três religiosos, Pegui Benjumea Heredia, não ocultaou sua satisfação porque três de seus quatro filhos são sacerdotes de Cristo. Pegui afirmou também que a sua filha, irmã Mônica Werner Benjumea, não poderá deslocar-se do Brasil (onde mora) até Málaga nestas datas devido a suas obrigações como religiosa do Instituto Regina Virgininum, também formado dentro da família dos Arautos do Evangelho.

Arqueólogos encontram fósseis que podem mudar teoria da origem humana.

Descoberta evidenciaria a existência de um Homo sapiens mais antigo, de 400 mil anos.
Arqueólogos israelenses encontraram fósseis que podem mudar a teoria da evolução humana. Segundo o G1, os pesquisadores acharam dentes que seriam de seres humanos modernos de cerca de 400 mil anos atrás, o que comprovaria a existência de um Homo sapiens mais antigo. Atualmente, acredita-se que os Homo sapiens tiveram sua origem na África há cerca de 200 mil anos.
A notícia foi publicada na revista American Journal of Physical Anthropology.
Os fósseis foram encontrados na caverna de Qesem, em Israel. Para o coordenador do estudo, Avi Gopher, são necessárias mais pesquisas para comprovar a teoria dos arqueólogos, mas a descoberta pode mudar a teoria da evolução humana. “A datação da caverna mostra que a presença do Homo sapiens nesta parte do mundo é mais antiga do que as outras evidências que tínhamos até então”, diz.

terça-feira, 28 de dezembro de 2010

Casais em segunda união

Imagem de Destaqueenviado por Dysnei Thaim 

fonte: cançãonova.com

Não devem se afastar da Igreja nem devem ser discriminados


São muitos os casais hoje em segunda união; pessoas que foram casadas uma primeira vez na Igreja, se separaram e se uniram a outra pessoa apenas no civil. A orientação mais clara que a Igreja nos oferece sobre a situação dos casais de segunda união está na Exortação Apostólica "Familiaris Consortio" (Sobre a Família) do Papa João Paulo II, escrita após o Sínodo da Família, realizado em 1980; e também no Catecismo da Igreja Católica (CIC § 1652).
Antes de tudo a Igreja deseja e espera que, uma vez separados, os casais possam um dia se reconciliar. A Instituição criada por Cristo lembra que a separação física não extingue o vínculo matrimonial, por isso, os separados não podem se unir em nova união, a menos que o primeiro casamento tenha sido declarado nulo pelo competente Tribunal Eclesiástico do Matrimônio. Após um processo canônico o referido Tribunal pode chegar à conclusão de que determinado matrimônio foi inválido, de acordo com as normas do Código de Direito Canônico (cânones 1055 a 1124). Há cerca de 20 casos que podem levar o Tribunal a declarar a nulidade de um matrimônio, são falhas no consentimento matrimonial, impedimentos dirimentes ou falta de forma canônica.

“Não dá para obrigar mulher a ter filho”, diz nova ministra de Dilma.


 “Não vejo como obrigar alguém a ter um filho que ela não se sente em condições de ter. Ninguém defende o aborto, é respeitar uma decisão que, individualmente, a mulher venha a tomar.” Essa é a posição pessoal declarada pela atual deputada federal pelo PT do Espírito Santo e futura ministra da Secretaria de Políticas para as Mulheres, Iriny Lopes, 54.
A informação é de entrevista de Johanna Nublat publicada na edição desta segunda-feira da Folha
Iriny tem histórico de militante dos direitos humanos e sua declaração toca num dos pontos mais explorados durante a disputa eleitoral. Para ela, o papel do governo federal na questão é cumprir a lei, e cabe ao Congresso definir políticas públicas.

Os Muçulmanos celebram o Natal?


fonte: Rádio Vaticano
 
O Natal vivido na Europa ou nas “Américas ‘pagãs’ e consumistas” e no “Médio Oriente majoritariamente muçulmano” é vivido com “uma grande analogia”: “em ambos os mundos se vive o verdadeiro cristianismo em contexto ‘minoritário’”.
Para Adel Sidarus, cristão originário do Egito, docente e investigador universitário e residente em Portugal, a “mensagem natalícia num meio muçulmano” enfrenta uma cultura onde impera uma imagem do divino “essencialmente transcendente e onipotente” e em que “a crença no Filho de Deus feito homem soa como politeísmo e blasfêmia, passível de retaliação violenta”.
No artigo que redigiu para o dossiê “Natal” do semanário da Agência ECCLESIA, o professor universitário assinala que no Alcorão, livro sagrado dos muçulmanos, Jesus é tido como “um profeta muito particular”, um “espírito” de Deus que foi “soprado” no seio da Virgem Maria.
Para o mundo do Islã, refere o autor, “o Natal é simplesmente a comemoração do nascimento desse profeta ‘misterioso’”.

Você sabia que o natal já foi proibido POR LEI em alguns países protestantes?


Hoje, ninguém imagina dezembro sem Natal. Mas esse não foi sempre o caso. O feriado religioso já foi proibido nos Estados Unidos e na Inglaterra por várias décadas – pelos próprios cristãos. A maioria dos americanos não está ciente de que o Natal foi banido, por exemplo, em Boston de 1659 a 1681.

A guerra original contra o Natal foi travada durante os séculos XVI e XVII pelos puritanos, ou cristãos protestantes que acreditavam que as pessoas precisavam de regras rígidas para serem religiosos, e que qualquer tipo de festa ou animação era pecado.

Assim, os próprios seguidores de Jesus Cristo, tanto na América quanto na Inglaterra, ajudaram a aprovar leis que tornaram ilegal celebrar o Natal. Eles acreditavam que era um insulto a Deus honrar um dia que já foi associado com o paganismo antigo.

Abstinência antes do casamento melhora vida sexual, afirma estudo da Associação Americana de Psicologia.

Fonte: Terra

Essa informação referenda o magistério da Igreja católica que sempre afirmou para seus fiéis-  refletindo o ensino biblico – essa verdade!

Pena que pelo preconceito, precisa-se que o assunto venha de outras fontes, de preferência seculares, para ser “aceito”.
Bem, a verdade se impõe já que ela serve a todos e não apenas os católicos.
***

Casais que esperam para ter relações sexuais depois do casamento acabam tendo relacionamentos mais estáveis e felizes, além de uma vida sexual mais satisfatória, segundo um estudo publicado pela revista científica Journal of Family Psychology, da Associação Americana de Psicologia.

Pessoas que praticaram abstinência até a noite do casamento deram notas 22% mais altas para a estabilidade de seu relacionamento do que os demais.

 

©2012 Grupo Renascer | Template Grupo Grupo Renascer by