VEJA NOSSOS ÁLBUNS DE FOTOS NO NOSSO FACEBOOK: facebook.com/gruporenascercamocim

sábado, 14 de agosto de 2010

Anular o voto por falta de opções? Jamais!



Lenise Garcia

Presidente do Movimento Nacional da Cidadania pela Vida – Brasil sem Aborto
Estamos em ano eleitoral. Mais uma vez a democracia brasileira será fortalecida e consolidada pelo exercício do voto, esse nobre direito da cidadania. Nosso voto é muito valioso, e precisamos estabelecer critérios muito claros na hora de escolher as pessoas que vão nos representar na Câmara dos Deputados, no Senado Federal e no Executivo. Voto consciente é aquele que leva em conta os princípios e valores dos candidatos, para eleger pessoas que realmente representem nosso modo de pensar.

Jovem desperta do coma após 15 meses e surpreende médicos.

Em comunicação telefônica com a Rádio FM da Colômbia, Guillermo Yelting, o pai da jovem Sara Yelting, relatou a história de sua filha que após 15 meses em coma despertou e pôde reconhecer os seus seres queridos. Guillermo disse ademais que enquanto haja vida deve haver esperança e que enquanto sua filha luta ele não tem nenhum direito de baixar os braços, ao ser perguntado sobre se alguma vez pensou em deixá-la morrer.
Em comunicação com a emissora colombiana desde a Argentina, Guillermo explicou que tudo começou quando a jovem que agora tem 23 anos começou a sofrer distintos problemas neuronais que a sumiram em um coma de 4º grau: “ela foi internada no Sanatório Colegiales em 8 de fevereiro do 2009.

sexta-feira, 13 de agosto de 2010

Censo no Brasil: banco de dados de religiões tem 2.079 “religiões” diferentes”.




Jornal Zero Hora- Porto Alegre


O quesito religião, no Censo 2010, vem provocando confusões e manifestações pelo país.
O Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) garante que não induz e nem restringe as respostas sobre credos. O coordenador técnico nacional do levantamento, Marco Antonio Alexandre, explica que todas as declarações serão registradas conforme anunciadas pelos entrevistados.
As religiões listadas no computador de mão do recenseador foram escolhidas como?
Essa lista nada mais é do que uma reprodução de tudo o que as pessoas declararam no Censo de 2000. Colocamos esses dados no que chamamos de banco descritor do PDA (computador de mão), facilitando a vida do recenseador. Quando ele vai a campo, pergunta a religião do recenseado. Ao digitar a resposta, o sistema busca a descrição semelhante no banco descritor e a apresenta ao recenseador.

Namoro virtual “moderno”.

Fonte: BBC

Uma nova tendência que apareceu em Nova York parece estar unindo o mundo dos encontros virtuais ao jeito analógico de se namorar.
casal_blog.jpg
Segundo uma reportagem publicada no jornal The New York Times, sites como o Cheek’d e o FlipMe! dão aos seus usuários cartões de visita que podem ser entregues para potenciais paqueras avistadas em bares, restaurantes, ou até mesmo andando pela rua.
Nos cartões, além do contato do usuário no site, estão escritas frases como “Olhe para cima. Você pode estar perdendo algo”, “Estou te paquerando”, “Sou bem mais legal que sua namorada(o)”.
A ideia inverte um pouco a ordem comum do namoro pela internet. Geralmente a história é assim: você descobre alguém interessante no site, troca alguns emails e, se o papo engatar, marca de encontrar pessoalmente.
Com os novos sites, é possível checar alguém na “vida real” – o que acaba com o risco de a pessoa não corresponder exatamente à foto de seu perfil – conversar pela internet e voltar e se encontrar pessoalmente.
Outra tendência inovando o mundo dos encontros na internet é a de aplicativos para telefones celulares que usam sistemas de GPS para mostrar potenciais paqueras a uma caminhada de distância.
Ao invés de passar dias na internet tentando marcar uma saída, o casal pode se encontrar em cinco minutos em um café da redondeza.

Espanha, campeã do mundo, oferece trofeu à virgem de Guadalupe.

Dom Diego Monroy sustenta a Taça Fifa vencida pela Espanha na Basílica da Virgem de Guadalupe
 
A Real Federação Espanhola de Futebol (RFEF) ofereceu o troféu da Taça do Mundo conquistado em julho na África do Sul ante a Virgem de Guadalupe na sua Basílica na capital mexicana, conforme informa a RFEF.
Em um emotivo ato, o presidente da RFEF, Angel María Villar, ofereceu o troféu diante de Monsenhor Diego Monroy cumprindo com a promessa feita em sua última visita o México. Os dirigentes espanhóis estiveram acompanhados pelo presidente da Federação Mexicana de Futebol, Jacinto Desio de María, e outros membros de sua equipe.
Em sua homilia, Monsenhor Monroy destacou os valores humanos que o esporte gera na sociedade universal e considerou que é um veículo de criação de forças espirituais. “Não se trata só do triunfo mas sim da espiritualidade que implica um esforço desta dimensão”, afirmou.

“Estamos muito felizes de que a Real Federação Espanhola de Futebol tenha cumprido seu desejo ante a Virgem ‘Morenita’ do Tepeyac, a mãe de todos. Não esqueçam que, quando se reuniu com o ‘indiozinho’ Juan Diego ela lhe disse com claridade ‘eu sou sua mãe’ o que a converte em mãe de todos nesta mistura de culturas, a indígena e a espanhola”, acrescentou.
A basílica albergou a numerosas pessoas que quiseram unir-se ao ato, seguidores do futebol e amantes do time espanhol que aclamaram cada instante da celebração.
“Sempre que vim ao México visitei a Basílica. Quando vim assinar o acordo para a partida ante o México escutei missa e solicitei uma coisa, ser campeão do mundo!, sou um egoísta, essas coisas não se pedem e a mãe de Deus me concedeu isso”, assinalou Villar.
Espanha e México se enfrentam  em um partido amistoso pelo Bicentenário da independência dos mexicanos.
A Virgem de Guadalupe apareceu a um camponês de nome Juan Diego em 1531, poucos anos depois da chegada dos conquistadores espanhóis, no alto de uma colina onde antes havia um templo dedicado a uma deusa asteca.
Depois de que Juan Diego contasse a um bispo sua visão, a imagem da virgem apareceu mais tarde em sua capa, de acordo ao relato. Este fato converteu o México ao catolicismo e o indígena foi canonizado pelo Papa João Pulo II.
 
fonte:ACI

Psicologia afirma: crianças necessitam um lar heterossexual e não homossexual.


fonte: ACI
O presidente do Instituto Mexicano de Orientação Sexual (IMOS), Oscar Rivas, reiterou os riscos de dar menores aos casais homossexuais e recordou que todas as correntes psicológicas afirmam que as crianças  necessitam a imagem paterna e materna “para desenvolver seu melhor nível intelectual, emocional e físico”.
“Falou-se muito sobre a adoção mas principalmente omitiu-se dizer que o direito de adoção é um direito da criança órfã, uma criança que perdeu um pai e uma mãe, uma criança que está abandonada e que justamente o estado merece restituir o que ela perdeu, um pai e uma mãe”, declarou Rivas à mídia local.
Nesse sentido, recordou que estudos em nível mundial advertem sobre os riscos existentes entre casais homossexuais e como estes podem afetar as crianças.

Necessidade do jejum

Jejuar não é simplesmente passar fome
Imagem de DestaqueNão existe uma forma menos "sofrida" de adquirir a virtude da temperança? João Cassiano (370-435) explica por que é necessário que o corpo sofra um pouco. A razão é muito simples: não é possível cometer o pecado da gula sem a cooperação do corpo. E isso é evidente, já que os anjos, por exemplo, não podem pecar por gula, no sentido próprio da palavra. Ora, se é com o corpo que acontece o pecado, o combate à doença da gastrimargia só pode acontecer caso o corpo entre na luta. Por isso se deve fazer jejum.

Estes dois vícios [a gula e a luxúria] por não se consumarem sem a participação da carne, exigem, além dos remédios espirituais, a prática da abstinência. Na verdade, para quebrar os seus grilhões, não basta o propósito do espírito (como acontece em relação à ira, à tristeza e às outras paixões que, sem afligir o corpo, a alma sozinha consegue vencer), mas é imprescindível a mortificação corporal pelos jejuns, as vigílias e os trabalhos que levam à contrição, podendo-se acrescentar também a fuga das ocasiões insidiosas. Sendo tais vícios oriundos da colaboração da alma e do corpo, não poderão ser vencidos sem ambos se empenharem neste processo.

Nós, mediócres que somos, não temos a maturidade necessária para a santidade, por isso não seríamos capazes de nos manter em ordem, naquele equilíbrio que “tempera” a vida, sem o auxílio do jejum.

Com o jejum somos capazes de rechaçar as incursões hostis da sensualidade e libertar o espírito para que se eleve a regiões mais altas, onde possa ser saciado com os valores que lhes são próprios. É a imagem cristã do homem quem exige estes voos. Devemos estar prontos para a renúncia e a severidade de um caminho que termina com a instauração da pessoa moral completa, livre e dona de si mesma, porque um dever natural nos impulsiona a ser aquilo que devemos ser por definição.

Nunca é demais insistir no fato de que o jejum não nasce de corações ressentidos e que odeiam a vida. A Igreja e os seus santos sempre reconheceram a bondade fundamental desta vida e dos alimentos que a sustentam. Um santo não é um faquir, e o ideal ascético cristão nunca foi o de deitar numa cama de pregos ou engolir cacos de vidro.

Desde o Novo Testamento, a Igreja sempre condenou o "destempero" dos santarrões e das suas seitas.

Jejuar não é simplesmente passar fome. Se assim o fosse, a anorexia das modelos seria virtude heroica e os famélicos da história poderiam ser canonizados. Mas a simples fome não santifica ninguém. Para que dê o seu fruto, o jejum deve ser acompanhado de uma atitude espiritual adequada, pois a doença espiritual que desejamos curar é, seja permitida a redundância, espiritual.

O pecado não está no alimento, mas no desejo. São Doroteu de Gaza (século VI) explica isso a partir de uma comparação com o casamento. O ato sexual realizado por um devasso pode ser externamente idêntico ao de um esposo, mas sua natureza é completamente diferente. Nos atos humanos, a intenção não é um mero detalhe. Assim também é na alimentação. O homem sadio e o homem que sofre de gastrimargia podem comer os mesmos alimentos nas mesmas quantidades, mas somente o doente comete idolatria.
Quando, diante dos alimentos, nos esquecemos de Deus e começamos a desejar o nosso próprio bem, mais do que a glória de Deus, geramos uma desordem no nosso próprio ser.



(Trechos extraídos do livro "Um olhar que cura - Terapia das doenças espirituais" pag. 64 a 69)

Pe. Paulo Ricardo

quarta-feira, 11 de agosto de 2010

Diálogo inter religioso: Você sabe o que é o “Ramadã” muçulmano? Entenda..

Como acontece anualmente, por ocasião das festas do mês de Ramadã, celebradas com devoção pelos muçulmanos, surgem entre nós muitas perguntas sobre seu sentido e significado, sobre sua origem e realização. Oferecemos à comunidade cristã breves respostas sobre algumas das perguntas que nos fazemos para assim poder compreender e querer um pouco mais o povo que nos acolhe.
As informações são de Manuel Corullón Fernández, franciscano e estudioso do Islamismo, e estão publicadas no sítio Religión Digital.

O que significa o termo Ramadã?
O nome deste mês deriva da raiz semítica r-m-d com o significado de abrasar-se, fazer sofrer, como referência ao calor do verão e à dificuldade do jejum quando o nono mês do calendário islâmico coincide com o pleno verão.

Qual é a origem do Mês de Ramadã?
É o mês em que o Corão foi revelado ao profeta Maomé. Ramadã é o único mês do calendário islâmico expressamente mencionado no Corão (2, 185). No Corão se fala várias vezes do jejum, mas apenas uma vez de sua prescrição no mês de Ramadã, o nono dos 12 meses do calendário lunar islâmico. Chama a atenção o paralelismo entre a missão de Moisés e a de Maomé acompanhada e apoiada pelo jejum do povo durante o momento da revelação.

Quais são as festas mais importantes durante este mês?
A festa mais importante do mês de Ramadã é a Noite do Destino, a Layla al-Qadar, assim como é descrita na sura 97 do Corão que recebe o nome de Sura do Destino (Al-qadir). É celebrado em uma das últimas noites ímpares do mês de Ramadã (a noite 24 ou 27), recordando a noite da revelação do Corão ao profeta Maomé. É a noite mais santa do ano, na qual os muçulmanos acodem durante toda a noite às mesquitas onde se recita de maneira ininterrupta todo o texto do Corão recordando a sua revelação.
O mês de Ramadã termina com a festa da ruptura do jejum (Aid al-Fitr), que tradicionalmente vai acompanhada de uma festa familiar, a oração na mesquita e uma esmola ritual aos pobres. No Marrocos, esta festa recebe também o nome de Pequena Páscoa (aid al-seghir).

Eleições 2010: Debate na Canção Nova e Tv Aparecida, Dilma Irá?

Os candidatos a Presidência da República, Marina Silva (PV), José Serra (PSDB) e Plínio de Arruda Sampaio (PSOL), já confirmaram presença no debate do dia 23 de agosto promovido pelas emissoras católicas TV Aparecida e Rede Canção Nova de Comunicação. Além destes, o convite também foi feito para a candidata Dilma Roussef (PT), porém a petista ainda não confirmou presença.
Ela declarou, que por questões de agenda, participará apenas dos debates agendados pelas Redes Bandeirantes, Globo, Record e Rede TV. O local do debate será no auditório da Faculdade Santa Marcelina, em São Paulo. Este será o primeiro debate, entre presidenciáveis, promovido por emissoras católicas.
As duas emissoras instaladas no Vale do Paraíba, juntas abrangem mais de 100 milhões de espectadores. O debate terá quatro blocos, com duração de duas horas. Os candidatos responderão perguntas de um mediador, de jornalistas da TV Aparecida, Rede Canção Nova e de membros de pastorais católicas.
Não haverá perguntas entre os candidatos. Eles não serão poupados de questões polêmicas, como o aborto, o uso de contraceptivos, a união homossexual, a manutenção de símbolos religiosos em repartições públicas e a utilização de células-tronco embrionárias para pesquisas científicas e tratamento.
No primeiro bloco o mediador fará as perguntas sobre saúde, educação, habitação e emprego. No segundo bloco três jornalistas perguntam aos candidatos. Por sorteio, um candidato responde e outro comenta, com direito a réplica e tréplica. No terceiro bloco membros das pastorais católicas perguntam a um candidato, outro comenta com direito a réplica e tréplica.
No quarto bloco cada candidato responde a uma pergunta, feita pelo mediador, sobre um determinado problema do país. Em seguida os candidatos fazem suas considerações finais. O objetivo do debate, segundo os organizadores, é conscientizar o público cristão.

Fonte: Jornal de Itupeva

Você sabe o que é o Gnosticismo?

Felipe Aquino

Esta palavra tem aparecido ultimamente por causa do chamado “Evangelho de Judas”, que é de fundo gnóstico; e também por causa do livro “O Código da Vinci”, de Dan Brown (Editora Sextante, 2004), onde o autor diz que se baseou nos evangelhos apócrifos e gnósticos de Maria Madalena, Filipe e Tomé, para fazer as suas afirmação contra a Igreja católica.
O gnosticismo está também na base filosófica e religiosa de muitos movimentos e seitas como a Nova Era, o espiritismo, hinduísmo, etc. Mas, afinal , o que é este gnosticismo?
É uma concepção religiosa muito antiga, de antes de Cristo, que veio do Oriente, provavelmente da Pérsia, e que se infiltrou na Igreja gerando uma terrível heresia que foi severamente combatida já pelos Apóstolos São Paulo, São Pedro e São João em suas cartas, e também por Santo Irineu (130-200) no seu famoso livro “Contra os Hereges” (Ed. Paulus, Patrística, Vol. 4, 1995, SP).
O gnosticismo acredita que há como que dois deuses; um deus bom e outro mau; e o mundo teria sido criado pelo deus mau, um deus menor, que eles chamam de demiurgo; este seria o nosso Deus da Bíblia, dai todas as tragédias contadas nela. Para esta crença, as almas dos homens já existiam em um universo de luz e paz (Plenoma); mas houve uma “tragédia” – algo como uma revolta – e assim esses espíritos foram castigados sendo aprisionados em corpos humanos, como em uma cadeia, pelo deus demiurgo, e que os impede de voltar ao estado inicial.
A salvação dessas almas só seria possível mediante a libertação dessa cadeia que é o corpo, que é mau, e isto só seria possível através de um conhecimento (gnose em grego) secreto, junto com práticas mágicas (esotéricas) sobre Deus e a vida, revelados aos “iniciados”, e que dariam condições a eles de se salvarem. Por isso os gnósticos não acreditam na salvação por meio da morte e ressurreição de Jesus Cristo; não acreditam no pecado, nos anjos, nos demônios, e nem no pecado original. Para eles o mal vem da matéria e do corpo humano, que são maus. A Igreja muitas vezes teve que se pronunciar contra isto e muitas vezes relembrou que “tudo o que Deus fez é bom”.

Pistas para escolher bem seus candidatos.


Artigo de Dom Paulo Mendes Peixoto
Apresentamos artigo do bispo de São José do Rio Preto (São Paulo), Dom Paulo Mendes Peixoto, sobre o valor do voto, texto difundido pela CNBB (Conferência Nacional dos Bispos do Brasil)
* * *

Valor do Voto

A minha palavra é destinada a todos os diocesanos e às pessoas cidadãs, de boa vontade, querendo assim contribuir para a vida do nosso povo no momento tão especial como estamos agora vivendo, com a chegada das Eleições. Faço isto vendo a grande importância da participação política dos cristãos na vida social, para construir uma sociedade fraterna, justa e solidária.
É importante acompanhar o processo político, vendo de perto o perfil dos candidatos para criar consciência e responsabilidade, ajudando assim nos destinos do País e do Estado. Sabemos que o papel do eleitor vai além do seu voto. Começa pelo conhecimento dos candidatos, sua vida, atuação, propostas e posturas apresentadas. Continua depois, acompanhando a gestão dos que forem eleitos.
A sociedade almeja uma ética na política e uma coerência dos políticos. Não é por acaso que tivemos a iniciativa popular para criar a Lei chamada “Ficha Limpa”. Para que ela seja aplicada, efetivamente, é preciso haver uma mudança de mentalidade e de ação, tendo em vista uma política marcada por princípios e valores éticos fundamentais para o povo.
A Palavra de Deus e a Doutrina Social da Igreja, seguramente credenciadas por uma prática histórica milenar, podem dar fundamentos para isto. Aí os candidatos devem buscar os critérios de ação, dando aos eleitores as bases para o exercício da cidadania para um voto consciente e comprometido podendo, dentro do processo, agir com corresponsabilidade.

Você pede a “bênção” a seus pais?


Felipe de Aquino.

Quando eu era criança, estava acostumado a pedir a bênção aos meus pais – a qualquer hora que saísse ou chegasse em casa -, naquele apressado “Bença, pai!”, “Bença, mãe!”, tão apressado que quase não ouvia a resposta. Todos nós, quando crianças, estávamos tão acostumados a pedir a bênção dos pais que, quando saíamos sem ela, parecia-nos que faltava algo à nossa segurança ou ao sucesso de nossos planos… Ao menos quatro vezes por dia eu e meus oito irmãos pedíamos a bênção a nossos pais: ao acordar, ao irmos para a escola, ao voltar da escola, e ao se deitar.
Hoje, passados os anos, tenho profunda consciência da importância da bênção dos pais na vida dos filhos. É a Sagrada Escritura que nos alerta da necessidade dessa bênção. Toda a Bíblia está repleta de passagens indicando a importância que Deus dá aos pais na vida dos filhos. Os pais são os cooperadores de Deus na criação dos filhos e, dessa forma, são também um canal aberto para que a bênção divina chegue aos filhos.
O livro do Deuteronômio registra o quarto mandamento: “Honra teu pai e tua mãe, como te mandou o Senhor, para que se prolonguem teus dias e prosperes na terra que te deu o Senhor teu Deus” (Dt 5,16). Desta forma, Deus promete vida longa e prosperidade àqueles que honram os pais. São Paulo disse que esse é “o primeiro mandamento acompanhado de uma promessa de Deus” ( Ef 6,2).
Os livros dos Provérbios e do Eclesiástico estão cheios de versículos que trazem a marca da presença dos pais. Eis um deles: “A bênção paterna fortalece a casa de seus filhos, a maldição de uma mãe a arrasa até os alicerces” (Eclo 3,11). Esse versículo mostra que a bênção dos pais (e também a maldição!) não é simplesmente uma tradição do passado ou mera formalidade social. Muito mais do que isso, a Escritura nos assegura que a bênção dos pais é algo eficaz e real, isto é, um meio que Deus escolheu para agraciar os filhos. Deus quis outorgar aos pais o direito e o poder de fazer a Sua bênção chegar aos filhos. É a forma que Deus usou para deixar clara a importância dos pais. Analisemos estas passagens marcantes:
“Ouvi, meus filhos, os conselhos de vosso pai, segui-os de tal modo que sejais salvos. Pois Deus quis honrar os pais pelos filhos, e cuidadosamente fortaleceu a autoridade da mãe sobre eles.

segunda-feira, 9 de agosto de 2010

Comunicado do Arcebispo de Campinas sobre a Fraternidade Toca de Assis e seu Fundador.


À familia Toca de Assis, aos Filhos e Filhas da Pobreza do Santíssimo Sacramento, leigos, acolhidos, benfeitores, sacerdotes, amigos e outros interessados.

Caríssimos filhos e filhas da Igreja, venho apresentar-lhes um posicionamento sobre a situação da Fraternidade Toca de Assis e seu fundador:

1 – Os Filhos e Filhas da Pobreza do Santíssimo Sacramento, Institutos religiosos também conhecidos como Toca de Assis, é uma obra meritória, nascida do coração de Jesus e que goza de pública estima e grande apoio dos bispos do Brasil. Dão testemunho fiel da Igreja adoradora do Santissimo Sacramento e amorosa servidora dos pobres sofredores.

2 – Pe. Roberto Lettiere possui diante de Deus e dos homens, méritos inegáveis das Obras de Misericórdia, voltadas para os pobres e da difusão da adoração ao Santíssimo Sacramento, que são as colunas dessa familia religiosa fundada por ele.

3 – No início de 2009, Pe Roberto foi afastado do cargo de Ministro Geral dos Filhos da Pobreza. Desde então não atua no governo do instituto, seja em Conselho Geral, em Capítulo ou em quaiquer outras formas de participação. Assumiu como novo Ministro Geral, juntamente com seu conselho, Irmão Gabriel do Verbo de Deus, missão que desempenha até os dias de hoje, no instituto masculino. No instituto feminino continua como Ministra Geral a Irmã Maria dos Anjos do Mistério da Cruz.

4 – Padre Roberto solicitou-me a permissão para recolhimento no eremitério franciscano do Getsêmani, em Jerusalém, local que permaneceu por livre vontade, até final de maio de 2010, quando retornou ao Brasil. Desde então, por motivos pessoais, encontra-se em residência particular na Arquediocese de Campinas, sendo pessoalmente por mim acompanhado.

Sendo assim toda a Toca de Assis vem passando por um importante processo de reestruturação, onde pela graça de Deus, tem se tornado mais madura, sólida e estável. A Igreja por meio de seus bispos, tem dado todo o apoio necessário e tem acompanhado de perto cada passo dado. A Igreja tem reconhecido a autenticidade deste carisma e a beleza do florescer do Amor de Deus nesta Família religiosa, tão especial aos seus olhos e aos de Jesus.

Apoiem a Fraternidade Toca de Assis, rezem por esta família e auxiliem em suas necessidades!!!
Campinas-SP, 30 de julho de 2010.
Assinam a carta Dom Bruno Gamberini (Arcebispo Metropolitano de Campinas), Irmão Gabriel do Verbo de Deus (Ministro Geral dos Filhos da Pobreza do Santíssimo Sacramento) e Irmã Maria dos Anjos dos Mistérios da Cruz ( Ministra Geral das Filhas da Pobreza do Santissimo Sacramento)

Esta carta é um documento oficial da Arquidiocese de Campinas, elaborada e assinada pelo Arcebispo Metropolitano Dom Bruno Gamberini, e a seu pedido, também assinada pelos respectivos Ministros Gerais dos Institutos.

Rede Nacional de Intercessão - Agosto de 2010

“Unidos pela sua Palavra reconstruiremos as muralhas...”
“Proclama a Palavra, anuncia a Boa Notícia!” (cf. 2 Tim 4,1-5)”

Toda a RCC está entrando no grande projeto amigos de Deus que tem como objetivo geral:
Unir a RCC do Brasil em oração, jejum, sacrifícios e penitência inspirados nos livros de Judite e de Neemias, a fim de reavivar a espiritualidade dos seus membros através da oração pessoal, da meditação da Palavra de Deus, da Adoração e participação da Eucaristia, da frequência ao sacramento da reconciliação (confissão), da prática semanal do jejum e da reza do terço. Colaborando assim com a missão da RCC do Brasil de fomentar o uso cotidiano da Palavra de Deus e construir a sua Sede Nacional em Canas/SP.

Novidade: Curso de Formação de Pregadores

O Instituto de Educação a Distância está com inscrições abertas. Nesta fase, um novo curso está sendo oferecido: Formação de Pregadores – Metodologia com o poder do Espírito Santo. 
O curso é uma importante oportunidade de formação para quem está iniciando no ministério e também para quem já é pregador.  Ao concluir o curso, o pregador estará dotado de conhecimentos bíblico-doutrinários e técnicas que o habilitem a pregar usando metodologia e didática adequadas, bem como a submeter constantemente suas habilidades, conhecimentos e técnicas à ação do Espírito do Senhor.

Além disso, estão abertas também as inscrições para a terceira turma do curso de Introdução à Bíblia Sagrada.
Seja aluno
O perído de inscrições para os cursos vai até 13 de agosto e as aulas iniciam dia 1º de setembro. O valor da inscrição é de R$ 15,00 e da mensalidade é de R$ 20,00 (três parcelas)

Novos Testemunhos

De seminarista sequestrado a sacerdote; o testemunho de Stefano, de Uganda.

Agência Fides
Stefano tinha 16 anos quando foi seqüestrado pelos rebeldes do Lord’s Resistance Army (LRA), que haviam atacado em 11 de maio de 2003 o seminário menor da diocese de Gulu no norte de Uganda (ver Fides de 12/5/2003 e de 19/5/2003). Além de Stefano, foram sequestrados outros 40 seminaristas.
Segundo um relatório apresentado por Eva-Maria Kolmann, da Ajuda à Igreja que Sofre, os rebeldes capturaram os seminaristas para juntá-los às suas fileiras. A maior parte deles foi morta e doze estão ainda desparecidos.
Stefano contou a sua história aos representantes da Ajuda à Igreja que Sofre (ACS), com sede em Königstein, que recentemente fez uma viagem a Uganda.

VEJA TODO TESTEMUNHO CLICANDO AQUI

Resgatado para ser Apóstolo da Efusão do Espírito Santo

fonte RCC Brasil
É com grande alegria no Espírito com que venho contar o testemunho da história de minha vida. Eu me chamo Elieldo Lameira Brito, nascido no dia 30/05/1983. Atualmente resido na cidade de Santa Isabel, Estado do Pará.
Quando ainda estava na barriga da minha mãe, meu pai nos abandonou e foi embora para o sul do Estado. Porém, recebemos toda a ajuda de meus tios e falecidos avós durante a gestação e na minha criação.
Minha família sempre teve muita influência influência evangélica, por causa da minha vó. Por conta disso, quando eu era criança fui apresentado a Jesus.
 
VEJA TODO TESTEMUNHO CLICANDO AQUI

Divórcio se espalha por meio de redes sociais na Internet.




Quem mais perde são os filhos.
Quem mais perde são os filhos.

por: Thaddeus M. Baklinski

Um estudo publicado pela Rede de Pesquisa de Ciência Social revelou que a probabilidade de divórcio é influenciada pela rede social em que uma pessoa está envolvida.
James H. Fowler e Rose McDermott do Departamento de Ciência Política da Universidade da Califórnia, e Nicholas A. Christakis, da Universidade de Harvard, utilizaram um conjunto de dados longitudinais do famoso Estudo Framingham-Heart para explorar como as redes sociais influenciam o divórcio.“O divórcio é a dissolução de um laço social, mas é também possível que atitudes sobre divórcio fluam de um laço social para outro”, disse o Dr. Fowler.
Os pesquisadores relatam, “Descobrimos que o divórcio pode se espalhar entre amigos, irmãos e co-trabalhadores, e há grupos de divorciados que se estendem dois graus de separação da rede”.
Embora a maioria das pessoas ache que o divórcio é um assunto entre um casal ou dentro de uma família, os pesquisadores dizem que “o divórcio tem de ser compreendido como fenômeno coletivo que se estende muito além daqueles que foram diretamente afetados”.O relatório também declara que pais casados que têm filhos são menos influenciados por divorciados dentro de sua rede social do que casais sem filhos, e quanto mais filhos o casal tem, menor a influência.“O que é interessante é que não constatamos que a presença de filhos influencia a probabilidade de divórcio, mas constatamos que cada filho reduz a suscetibilidade de ser influenciado por outros casais que se divorciam”, diz o relatório.“Em geral”, conclui o relatório, “os resultados indicam que lidar com a saúde do casamento dos amigos serve para apoiar e melhorar a durabilidade do próprio relacionamento”.
O texto completo do relatório, intitulado “Breaking Up is Hard to Do, Unless Everyone Else is Doing it Too: Social Network Effects on Divorce in a Longitudinal Sample Followed for 32 Years” (É difícil separar, a menos que todas as outras pessoas estejam se separando: efeitos da rede social no divórcio numa amostra longitudinal seguida por 32 anos) está disponível aqui.

Capela Sistina em 3D. Imperdível!

0

Veja essa beleza em 3D acessando o link abaixo.

Sistine Chapel

domingo, 8 de agosto de 2010

Meu pai é quadrado!


Meu pai é muito quadrado, lados iguais, parece a mesma coisa sempre! Nunca muda! Sempre está no mesmo lado. Todo “perfeitinho”.
Sempre tem ângulos retos pra qualquer situação… É eqüilátero mesmo.
Você acha que seu pai é assim?
Que nada. Ou às vezes é sim?
Parece perfeito, pois os anos o levou a maturidade de quem teve que lutar muito. Mas ainda está aprendendo…
Por muito tempo pensei que meu pai não sabia ser pai. Um dia descobri que eu também não sabia ser filho. Conclui: Estamos aprendendo.
Sei que tenho muito a pedir perdão… Pois fui redondo demais… E rolei pela vida sem analisar o que meu pai me ensinava…
Mas em Deus quero acertar meus ângulos e poder dizer:
Pai obrigado por me ensinar que a área de minha vida é a multiplicação dos meus lados…
Pois foi sua “quadradice” que me ensinou isso…
Foi olhando para seus lados sempre certos que entendi que não estou pronto. Estou em construção.
Foi olhando para seus olhos sempre “retos” que aprendi o que é viver uma vida que valha a pena e não uma vida de dar pena!
Pai, hoje posso ser “quadrado” e ter toda retidão em lhe dizer:
Te amo.
Deixe aqui também sua homenagem para seu pai e mostre que você aprendeu o que é certo:
O certo, o reto é amar!
Tamu junto
Adriano goncalves

Movimento contra aborto lança campanha - A vida depende do seu voto

ACI Digital

O Movimento Nacional da Cidadania pela Vida – "Brasil sem Aborto" lançou a campanha "A vida depende do seu voto – 2010" e já está disponibilizando em seu site (http://brasilsemaborto.com.br), os termos de compromisso dos candidatos que defendem a vida das crianças no útero de suas mães, desde a concepção.

A ideia é que todos os que defendem a vida ajudem a divulgar a campanha, primeiro para conseguir o compromisso dos candidatos, e depois divulgando o site junto aos eleitores para formar uma grande corrente, favorecendo governos e parlamentos que promovam a vida humana integralmente.

Os organizadores da campanha ressaltam ainda a importância de comparecer à votação, para que “mais uma vez a democracia brasileira seja fortalecida e consolidada pelo exercício do voto, esse nobre direito da cidadania. Nosso voto é muito valioso, e precisamos estabelecer critérios muito claros na hora de escolher as pessoas que vão nos representar na Câmara dos Deputados, no Senado Federal e no Executivo”.

“Voto consciente é aquele que leva em conta os princípios e valores dos candidatos, para eleger pessoas que realmente representem nosso modo de pensar”, destacam os organizadores através da sua página web.

O Movimento Brasil sem Aborto denuncia que “a prática do aborto é crime em nosso país, mas é feito clandestinamente, e tem ceifado inúmeras vidas indefesas que são assassinadas covardemente no útero de suas mães. A solução não está na legalização, mas em políticas que garantam que todas as mulheres que engravidam tenham atendimento de qualidade nos postos de saúde e nos hospitais públicos até o momento do parto; haja ampla campanha de esclarecimentos quanto à prevenção à gravidez indesejada, respeitando os princípios e as convicções religiosas de cada pessoa; não se promova ou permita a distribuição da 'pílula do dia seguinte' para os jovens e adolescentes, pela rede pública de saúde, uma vez que este medicamento tem efeito abortivo. Isto se aplica também ao DIU”.

Na mensagem assinada pela presidenta do Movimento, Lenise García, os integrantes do movimento reiteram que “temos que eleger pessoas comprometidas com a defesa da vida do momento da concepção até a morte natural. Lembre-se: a Vida depende do seu Voto. Vote em quem é contra o aborto e não defende a sua legalização”.

O texto conclui, convidando aqueles que "ainda não tem os seus candidatos ou candidatas pró-vida", a verificar, no site, a lista de candidatos do seu Estado, e votar "com a consciência de que seu voto contribuirá para a construção de um Brasil  mais justo, mais solidário e mais humano. Um Brasil sem Aborto". E sugere: "se você conhece um candidato pró-vida que ainda não consta do site, coloque-o em contato conosco”.

Para verificar o modo de proceder, e imprimir o termo de compromisso, acesse http://brasilsemaborto.com.br

Pai, não se meta na minha vida!



P. Francisco Javier Rosell Peralta
Os pais que sabem se meter na vida dos filhos conseguem fazer deles homens e mulheres de bem. Lembro-me de uma ocasião em que escutei um jovem dizendo ao seu pai:
- Não se meta na minha vida!
Esta frase calou fundo em mim, tanto que freqüentemente a recordo com relação a pais e filhos, imaginando ser eu aquele pai, e o que responderia ao meu filho.
- Filho, eu não me meto em sua vida, você é que se meteu na minha!
Faz 17 anos que, graças a Deus, pelo amor que nos unia, à sua mãe e a mim, você chegou em nossas  vidas, ocupou nosso tempo durante quase três meses, sua mãe se sentindo mal, sem poder se alimentar, pois tudo o que comia lhe causava vômitos, precisando ficar de repouso; eu tive de me repartir entre as obrigações do meu trabalho e as de casa, para ajudá-la.
Já não podíamos ir a todas as reuniões, não freqüentávamos tanto os amigos, na verdade nos distanciamos de muitos deles por sua causa…
Nos últimos meses antes de você chegar, sua mãe não dormia e não me deixava dormir, eu precisava levantar cedo para ir trabalhar, no entanto tinha de me esforçar para ser paciente e ajudar sua mãe a se sentir melhor, para que você estivesse bem.
As despesas aumentaram incrivelmente, pois grande parte de nossas economias eram gastas com você: com um bom médico para cuidar de sua mãe, ajudando-a a manter uma gravidez saudável,  com medicamentos, já na Maternidade, na aquisição de um guarda-roupa completo para você… sua mãe não podia ver algo de bebê que não quisesse logo para você: um berço, um cesta de alças, um carrinho de rodas, tudo o que fosse possível para você se sentir bem confortável.
Nem sequer me dei conta de ter deixado de adquirir coisas para mim, e você sabe como os aparelhos de som e os computadores me fazem delirar!

Pecados Capitais

Moisés Rocha é Pregador e fundador da Comunidade Resgate
estará em Camocim dia 28 de 29 em Camocim no II Congresso Paroquial da RCC Camocim. Participe!



Independente do pecado ser Venial, Capital, Grave ou Mortal, o pagamento para esse pecado é a morte. E para se entender qual o motivo para uma sentença tão pesada é preciso procurar entender e doutrina da igreja através do CIC parágrafo 1472 que afirma a necessidade de se purificar de todo pecado. Se o pagamento para todo pecado é a morte faz-se urgente compreender e aceitar que não se deve pecar. E se todos buscam a vida eterna é preciso se purificar dos pecados.

Deste modo a igreja declara de forma muito objetiva no parágrafo 1472 do CIC que todo o pecado mesmo venial acarreta um apego prejudicial às criaturas e exige purificação, quer aqui na terra, quer após a morte, num estado chamado purgatório. Independente de como será esta purificação, a igreja recomenda que ao se cometer um pecado, é necessário que haja purificação, e se não acontecer através da confissão ou através da santa Missa, ela irá acontecer no purgatório, que é o estágio em que as almas ficam aguardando até que estejam totalmente limpas, curadas, santas, podendo assim ser elevadas ao céu para ficar diante de Deus.

Um exemplo de Pai

por Jornal o Povo

Sr. Francisco das Chagas abraçado ao filho morto, Bruce Cristian, no último dia 25 de julho, numa ação desastrosa da polícia militar. Foto: ígor de Melo (Jornal O Povo)

A ciência não pode ser dogmática, ela inova por romper os paradigmas dominantes.



Tem uma propaganda do canal FUTURA, que passa na Globo, que lança ao ar várias perguntas, dentre elas uma que questiona até quando a ciência e a fé irão  “discutir” em busca da verdade definitiva..( Apresentam a imagem de Einsten, nesta ocasião)
Parece-me que a questão foi muito mal colocada, já que NÃO  EXISTE CONTRADIÇÃO DENTRO DA  VERDADE.
A fé e a ciência tem como busca essencial a Verdade e se complementam dentro de suas respectivas competências.
Não se precisa ter medo do conhecimento HUMILDE.
Precisa-se temer é a ignorância e a perca da noção de Deus como fonte de toda a verdade, deve-se temer é o intelectualismo orgulhoso, não orante, presunçoso e endeusado.O racionalismo estéril.
Fé e razão são duas asas do conhecimento humano, já nos afirmava o Papa João Paulo II.
Esse artigo apresenta exatamente este convite para que a ciência não se perca em seus dogmatismos , assumindo áreas que pertencem a religião e desfocando sua missão tão importante para a humanidade.
***
“Como podemos conciliar a necessidade de paradigmas da comunidade científica com o fato de que a verdadeira inovação só acontece quando alguém consegue lançar dúvidas sobre as ideias dominantes do momento?
Será que a ciência não se comporta de forma dogmática quando se entrincheira atrás dos muros de um determinado paradigma para defender seu poder e rotula como heréticos todos aqueles que desafiam sua autoridade?”, pergunta Umberto Eco, professor de semiótica, crítico literário e romancista, em artigo publicado no jornal The New York Times e traduzido pelo portal UOL
Um artigo recente no jornal italiano “Corriere della Sera” discutia a natureza da investigação científica. O escritor Angelo PanebiancoPanebianco, no contexto de certas simplificações jornalísticas que transformam o que era meramente uma hipótese prudente em “verdades” estabelecidas. argumentou que a ciência é por definição antidogmática porque ela atua por tentativa e erro e está baseada no princípio da falibilidade, que sustenta que o conhecimento humano nunca é absoluto e está num fluxo constante.
Mas a ciência também se arrisca a ser dogmática quando não consegue questionar o paradigma aceito por uma determinada cultura ou época. Quer as ideias estejam baseadas nas de Darwin, de Einstein ou Copérnico, todos os cientistas seguem um paradigma para eliminar teorias que saem de sua órbita – como a crença de que o Sol gira em torno da Terra.
Como podemos conciliar a necessidade de paradigmas da comunidade científica com o fato de que a verdadeira inovação só acontece quando alguém consegue lançar dúvidas sobre as ideias dominantes do momento?
Será que a ciência não se comporta de forma dogmática quando se entrincheira atrás dos muros de um determinado paradigma para defender seu poder e rotula como heréticos todos aqueles que desafiam sua autoridade?
A questão é importante. Será que os paradigmas sempre devem ser defendidos ou desafiados?
Uma cultura (entendida como sistema de costumes e crenças herdados e compartilhados por um determinado grupo) não é meramente uma acumulação de dados; é também o resultado da filtragem desses dados. Qualquer cultura é capaz de descartar o que não considera útil ou necessário – a história da civilização é construída sobre informações que foram enterradas e esquecidas.
Em seu conto “Funes el Memorioso” de 1942, Jorge Luis Borges conta a história de um homem que se lembra de tudo: cada folha de uma árvore, cada rajada de vento, cada sabor, cada sentença, cada palavra. Mas por esse mesmo motivo Funes é um completo idiota, um homem imobilizado por sua incapacidade de selecionar e descartar. Nós dependemos de nosso subconsciente para esquecer. Se temos um problema, sempre podemos ir a um psicanalista para recuperar quais memórias nós descartamos por engano. Felizmente, todo o resto foi eliminado. Nossa alma é o produto da continuidade dessa memória seletiva. Se todos nós tivéssemos almas como a de Funes, seríamos desalmados.
Uma cultura opera de forma semelhante. Seus paradigmas, que são constituídos pelas coisas que nós preservamos e por nossos tabus em relação ao que descartamos, resultam de compartilhar essas enciclopédias pessoais. É sobre o pano de fundo dessa enciclopédia coletiva que travamos nossos debates. Para que uma discussão seja compreendida por todos, precisamos começar a partir dos paradigmas existentes, mesmo que apenas para mostrar que eles não são mais válidos. Sem a rejeição do paradigma ptolomaico então dominante, o argumento de Copérnico de que a Terra girava em torno do Sol teria sido incompreensível.
Hoje a internet é como Funes. Como uma totalidade de conteúdo, não filtrado nem organizado, ela oferece a qualquer um a capacidade de criar sua própria enciclopédia ou sistema de crenças. Num contexto como este, uma pessoa pode simultaneamente acreditar que a água é composta de hidrogênio e oxigênio e que o Sol gira em torno da Terra. Teoricamente, é concebível que um dia possamos viver num mundo no qual existam 7 bilhões de paradigmas diferentes, e a sociedade seria então reduzida ao diálogo fraturado de 7 bilhões de pessoas todas falando uma língua diferente.
Felizmente, essa noção é meramente hipotética, mas o argumento em si só é possível precisamente porque a comunidade científica se baseia nas ideias comuns compartilhadas, sabendo que para derrubar um paradigma é preciso primeiro que exista um paradigma a ser derrubado. A defesa desses paradigmas pode levar ao dogmatismo, mas o desenvolvimento do novo conhecimento é baseado exatamente nessa contradição. Para evitar conclusões apressadas, eu concordo com o cientista citado no artigo de Panebianco: “Eu não sei. É um fenômeno complexo; terei que estudá-lo.”

por Carmadelio